Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Derrota não diminui trabalho', diz corintiano Renato Augusto

'Sobrevivemos ao grupo da morte', reitera meia alvinegro

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

23 de abril de 2015 | 18h54

O meia Renato Augusto afirma que a derrota para o São Paulo por 2 a 0, na quarta-feira, no Morumbi, pela Copa Libertadores, não pode comprometer o trabalho da equipe em 2015. Com a derrota, o Corinthians perdeu uma invencibilidade de 26 jogos na temporada e ainda viu o rival acabar com um tabu que durava desde 2007. Em 13 jogos, o São Paulo não havia vencido o rival no Morumbi.

"Não vai ser uma derrota que vai diminuir nosso trabalho. Isso é comum em clássicos. Quem vence acaba se tornando o mundo. Quem perde, vira um time fraco. Mas não vai acontecer isso com a gente", disse o jogador em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava.

O meia, que teve atuação razoável no clássico, ressaltou que a equipe atingiu o objetivo e conseguiu se classificar em primeiro lugar da chave. "Nós vencemos um grupo com o São Paulo, o atual campeão da Libertadores e com o Danubio, campeão uruguaio. Nós sobrevivemos ao 'grupo da morte'", ressaltou.

Renato Augusto reconheceu que a equipe teve uma queda de rendimento nos últimos jogos. Há três partidas, a equipe não vence (empates contra San Lorenzo e Palmeiras, além da derrota para o São Paulo). Ampliando o número de jogos, o Corinthians venceu apenas uma das últimas seis partidas (Ponte Preta).

Para o jogador, o grande problema é o cansaço pela maratona de jogos. "O Brasil é o único lugar do mundo com data Fifa e jogo no mesmo dia. A gente não consegue descansar. Com o cansaço dos jogos, físico e mental, a equipe caiu um pouco. Mas não acredito que seja uma queda de rendimento muito grande", disse o corintiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.