Derrota não tira a pose de Leão

O técnico Emerson Leão é polêmico e parece gostar de contrariar a opinião pública por um motivo qualquer. Ele disse, por exemplo, que o lateral Zé Maria "esteve muito bem" no jogo desta quinta-feira, quando o Brasil perdeu para a França por 2 a 1, pelas semifinais da Copa das Confederações. Pior e mais grave, "que a seleção brasileira poderia ter ganho da França, pois jogou de igual para igual". Essas falácias foram ironizadas até pelos jornalistas japoneses. "Com certeza, Emerson Leão viu outro jogo", comentou Atsushi Miyake, editor do diário esportivo de Tóquio, ?The Hochi Shimbun?.E Leão continuou a dar suas explicações para o desempenho medíocre do Brasil na Copa das Confederações. "Estávamos invictos e perdemos para os atuais campeões do mundo." A declaração sugere que empatar com Canadá e Japão, hoje, é motivo de orgulho para o técnico de seleção brasileira.Leão deve insistir com Leomar na cabeça-de-área, a quem se referiu nesta quinta-feira também de maneira elogiosa. O futuro do volante na seleção depende da permanência de seu "padrinho" após a partida Brasil x Uruguai, em 1º de julho. Leomar é jogador do Sport, clube em que Leão trabalhou até o final do ano passado. Durante a estada no Japão, o técnico disse pelo menos por duas vezes, em conversas informais, que o Sport lhe deve quase R$ 1 milhão.Leão criticou a falta de atenção do time nos gols da França, ambos de bola parada, e deixou claro o seu desapontamento com o ataque do Brasil. Chegou a explicar por que convocou Washington. "É o artilheiro em São Paulo." Depois, disse que vai continuar tentando encontrar os jogadores adequados para as posições mais carentes. Para o treinador, Brasil e França realizaram uma final antecipada da Copa das Confederações. Leão também não quis atribuir à ausência dos grandes nomes do País a justificativa para a eliminação. "Houve um acordo sobre a não liberação, não há nada a lamentar."

Agencia Estado,

07 de junho de 2001 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.