Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Derrota não tira ânimo do Santos para jogo em Barcelona

O motivo para a empolgação é que o Santos vinha invicto havia 52 dias

AE, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 16h41

SANTOS - Nem a derrota para Ponte Preta por 1 a 0, no último sábado, em Campinas, esfriou os ânimos dos jogadores do Santos. O elenco segue animado com a recuperação no Campeonato Brasileiro e voltou a afirmar que a meta é terminar a competição no G4 e garantir uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem. "Temos que ter tranquilidade para conseguir nosso objetivo que é terminar o campeonato entre os quatro primeiros", afirmou o lateral-direito Cicinho.

O motivo para a empolgação é que o Santos vinha invicto havia 52 dias (contando a parada para a disputa da Copa das Confederações), período em que o time deixou de ser considerado um dos candidatos a passar aperto na tabela de classificação para a condição de grata surpresa. A ascensão de garotos como os atacantes Neilton e Giva também contribuiu para aumentar o otimismo para o futuro.

No entanto, o técnico interino Claudinei Oliveira faz uma ressalva e lembra que a equipe não pode deixar escapar pontos por desatenção. "Conversamos a respeito disso, que era importante ter uma gordura para queimar mais para frente. Vínhamos de uma sequência boa", ponderou. O veterano lateral-esquerdo Léo endossou as palavras do chefe. "É questão de detalhe. Pecamos e perdemos".

Outros jogadores lamentaram a falha no gol da Ponte preta. "Foi um azar. (O goleiro Aranha) quis sair rápido e pegou a gente desprevenido. Vamos trabalhar para corrigir", disse o zagueiro Edu Dracena, que na jogada ainda foi driblado pelo atacante Rildo. "Infelizmente, tivemos um erro na saída de bola que comprometeu a nossa partida. O empate seria o resultado mais justo, mas futebol é assim", seguiu na mesma linha o meia argentino Montillo.

A empolgação agora dá lugar à preparação para o jogo contra o Barcelona, que marcará a estreia de Neymar no time catalão. O Santos enfrenta o rival da final do Mundial de Clubes da Fifa de 2011 na próxima sexta-feira às 16h30 (de Brasília), no estádio Camp Nou. "Não podemos reclamar muito. Agora é viajar para enfrentar o Barcelona e depois voltar e enfrentar o clássico (contra o Corinthians, no dia 7, na Vila Belmiro). Será complicado, mas vamos jogar", concluiu Léo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCClaudinei Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.