Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Derrota no dérbi obriga Palmeiras a consertar ponto fraco no ano

Equipe volta a viver momento turbulento e precisa se recuperar em sequência de jogos em casa, onde tem rendimento baixo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 Maio 2018 | 07h00

A terceira derrota para o Corinthians em 2018 colocou o Palmeiras pela terceira vez no ano em um momento turbulento e diante da obrigação de corrigir uma grave falha. A sequência agora é de quatro jogos como mandante por três competições diferentes, uma série que poderia animar o elenco, não fosse atuar em casa a principal debilidade do clube nesta temporada.

+ Time volta aos treinos sem protestos e com Moisés em campo

+ Tabela da Copa Libertadores 2018

O jogo contra o Junior Barranquilla, nesta quarta-feira, pela Copa Libertadores, será a chance de se recuperar e diminuir uma estranha distorção. Em casa o Palmeiras tem aproveitamento de somente 61% dos pontos, ante 79% quando o time sai como visitante. Como mandante o time perdeu três vezes em 2018. No ano passado, em toda a temporada, foram somente quatro resultados negativos.

Depois do compromisso pela Libertadores com a equipe colombiana, o Palmeiras recebe o Bahia, no sábado, pelo Brasileiro, o América-MG, quarta seguinte, pela Copa do Brasil, e fecha a sequência no sábado seguinte diante do Sport. A última vitória do time no Allianz Parque foi em 3 de abril, quando fez 2 a 0 no Alianza Lima. Depois disso, a equipe mandou uma partida no Pacaembu e não ganhou os três compromissos disputados na arena.

Para a partida de quarta-feira um problema para o elenco será exatamente enfrentar o ambiente de insatisfação do público com a nova derrota para o rival. O ônibus do time foi alvo de protestos no domingo na volta do estádio e parte da torcida pediu a saída do técnico Roger Machado. A impaciência deve ser um obstáculo para a partida, mesmo que o Palmeiras entre em campo já classificado e com o primeiro lugar da chave garantido.

Na entrevista coletiva do domingo o treinador pediu compreensão com o momento. "Foi uma derrota contra nosso tradicional adversário, após muitos elogios nos últimos 30 ou 40 dias. Por favor, não podemos jogar o Palmeiras para baixo novamente", disse.

O time atribui a dificuldade em vencer em casa à postura defensiva dos adversários. O Palmeiras entende ser mais fácil explorar espaços quando está como visitante e o dono da casa precisa atacar em busca do resultado. Já como mandante, a equipe admite ter dificuldade encontrar espaços na defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.