Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Derrota para a Ponte Preta faz Palmeiras colocar os pés no chão

Oswaldo de Oliveira espera que tropeço já na segunda rodada do estadual sirva para ajudar o trabalho na construção do time

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2015 | 07h04

Sem entrar na discussão da polêmica de torcida única no clássico deste domingo, o Palmeiras espera tirar proveito da derrota para a Ponte Preta. O resultado pode ter feito bem ao elenco do Palmeiras. E não é nenhum exagero. Desde o apito final da partida, Oswaldo de Oliveira tem insistido que ainda é preciso muito trabalho para o time demonstrar tudo aquilo que o torcedor espera.

O treinador sabe que o caminho ainda é longo para a equipe se sentir segura como ele e a torcida desejam. "Fica claro que precisamos treinar e jogar muito para que todas essas mudanças rendam. Vamos passar por momentos difíceis ainda. Nossa derrota dá um ponto de equilíbrio e faz todo mundo perceber que precisamos progredir ainda", analisou o treinador palmeirense.

O lateral-esquerdo Zé Roberto também ressaltou que o revés diante da Ponte pode muito mais ajudar do que atrapalhar a equipe para clássico com o Corinthians.

"Todos nós ficamos chateados no vestiário. O resultado não atrapalha. Só faz com que nossa equipe tenha um alerta sabendo que o Campeonato Paulista é o regional mais equilibrado que existe. Os pequenos atrapalham os grandes", disse o jogador, que foi poupado do jogo de quinta-feira e volta ao time amanhã.

A tarefa de Oswaldo não é nada fácil. Algo que deve ser uma vantagem no futuro, hoje é um problema para o treinador. O fato de ter 19 novos jogadores faz com que o entrosamento demore ainda mais para acontecer. Embora Oswaldo tente manter a base da equipe, é natural que ele faça novos testes, até para definir sua formação ideal.

O treinador, inclusive, precisa definir os sete nomes que restam para completar a lista de 28 jogadores para a disputa do Campeonato Paulista. Até o momento, 21 foram registrados e pelo menos mais seis jogadores já estão definidos: Aranha, João Pedro, Nathan, Arouca, Cleiton Xavier e Valdivia. A última vaga é disputada por Andrei, Victor Ramos e Gabriel Jesus. Para o clássico amanhã, a equipe deve ter como alteração apenas a volta de Zé Roberto no lugar de João Paulo.

"Pegamos o ônibus andando e teremos que nos ajustar no meio do campeonato. O pior é que agora, com dois jogos por semana, só teremos tempo para jogar e descansar, mas precisamos nos adaptar a isso", comentou o goleiro Fernando Prass.

CONTRATO ASSINADO

No sábado, mais um reforço chegou. O meia Cleiton Xavier passou por exames médicos na tarde e à noite foi até a Academia de Futebol para assinar contrato. Existe a possibilidade de Xavier ser apresentado aos torcedores antes da partida contra o Corinthians.

Ele é mais um reforço para a posição de Valdivia. O chileno continua em tratamento para se recuperar de uma lesão na coxa esquerda, que sofreu ano passado, e não tem previsão para retornar aos gramados. O jogador chegou a viajar para o Chile, onde foi se tratar com José Amador, fisioterapeuta da seleção chilena, mas ainda não se recuperou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.