Derrotado, Corinthians lamenta contra-ataque fatal no fim do clássico

Equipe pressionava e tinha esperança de empatar

Ciro Campos, Estadão Conteúdo

06 de março de 2016 | 19h00

O Corinthians deixou a Vila Belmiro após o clássico deste domingo para o Santos, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista, com o sentimento de que poderia ter empatado o clássico. Os jogadores afirmaram na saída de campo que o gol final da derrota por 2 a 0, marcado aos 39 minutos do segundo tempo, foi um castigo cruel para quem tinha volume maior de jogo na etapa final.

Assim como no primeiro gol, feito no começo do primeiro tempo, o autor dabola nas redes foi Ricardo Oliveira. "A gente se expôs no segundo tempo, conseguiu evoluir e pressionar. Quando estávamos melhores, eles fizeram o gol", lamentou o goleiro Cássio. Foi a primeira derrota do Corinthians em jogos oficiais no ano em dez compromissos. O técnico Tite escalou a equipe com uma formação mista para priorizar o confronto pela Libertadores na quarta-feira, contra o Cerro Porteño, no Paraguai.

O time visitante reconheceu ter falhado no primeiro tempo, quando ficou acuado e só deu o primeiro chute ao gols aos 40 minutos, com o meia Danilo, para fora. "Infelizmente tomamos um golpe de contra-ataque no fim do jogo. No segundo tempo nosso time estava melhor. Já na primeira etapa foi o Santos quem dominou", explicou o volante Bruno Henrique. "Foram duas bobeiras nossas, erramos quando não podia. No segundo tempo pressionamos. Vamos focar na quarta-feira, que tem jogo importante", comentou o volante Willians. A partida marcou a estreia do atacante Alan Mineiro.

Contratado no ano passado após passagem pelo Bragantino, o jogador entrou na segunda etapa e deu boa movimentação ao setor ofensivo do Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.