Desábato: "Não disse nada de racismo"

Depois de ficar quase 40 horas preso em São Paulo, acusado de injúria com agravante racista contra o atacante Grafite, o jogador argentino Desábato alegou inocência, já de volta a Buenos Aires, em entrevista que concedeu ao programa Fantástico, da TV Globo, na noite deste domingo. ?Não disse nada de racismo?, garantiu o zagueiro do Quilmes.?Apenas respondi a provocações que o Grafite havia feito dias antes?, insistiu Desábato, ao lembrar do jogo do Quilmes contra o São Paulo, na última quarta-feira, no Morumbi, pela Libertadores. ?Ele disse que mostraria uma banana para nós se fizesse um gol.?Desábato não imaginou que a discussão extrapolasse o futebol e, por isso, ficou surpreso quando recebeu voz de prisão ainda no gramado do Morumbi. ?Não entendo bem português e achei que estavam me convocando para o antidoping?, revelou o jogador na entrevista para a TV Globo.Ele só se deu conta da gravidade de tudo ao passar a noite no 34º DP - depois, foi transferido para o 13º DP, onde passou outra noite. ?Me assustei, fiquei só, pensava na família e chorei muito?, contou Desábato, que saiu da prisão no começo da tarde de sexta-feira, após os advogados do Quilmes pagarem a fiança de R$ 10 mil.?Me revistaram, me colocaram contra a parede, me apalparam como se fosse um delinqüente?, recordou Desábato, ao lembrar do momento em que foi transferido de delegacia, quando foi, inclusive, algemado pela polícia. ?Não matei ninguém, não roubei.?Notícias relacionadas ao caso: Torcida do Quilmes reforça o racismo Desábato não fala. Colegas criticam Desábato embarca de volta para Argentina Passarella: Desábato não é delinqüente Juristas divergem sobre caso Desábato Leão não teme represálias na Argentina Parreira teme represália dos argentinos Quilmes reclama de tratamento recebido Argentino é solto depois de quase 40h Quilmes promete pedir indenização Argentino paga fiança e deve ser solto Desábato toma chimarrão na prisão Jogador deve ser libertado à tarde Desábato passará a noite no 13º DP São Paulo com receio de jogar na Argentina Grafite perdoa, mas mantém processo Grondona considera prisão um "exagero" Teixeira e Parreira repudiam racismo Embaixador quer desculpas de Desábato Câmara convida Grafite a debater o racismo Quilmes: delegação passou dia no hotel Desábato é um ilustre desconhecido Governo brasileiro condena ato racista Ibase encaminhará mensagens à Fifa Desábato é transferido de delegacia Alckmin condena racismo de Desábato Argentino é suspenso preventivamente Nicolás Leoz visita jogador argentino Grafite conseguiu o que queria?, diz Olé Quilmes acusa São Paulo de montar farsa Conmebol também investiga Desábato Enquete em jornal argentino vê racismo ?Atleta não demonstrou arrependimento? Delegação do Quilmes está retida em SP Jogador argentino está incomunicável Advogados tentam livrar jogador Desábato preso por racismo no Morumbi São Paulo vence Quilmes e lidera Grupo 3

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.