Desanimado, Barbarense lamenta baixas

A vitória contra o União São João, no domingo, por 2 a 1, não melhorou o clima e nem o ânimo dos jogadores do União Barbarense e os desfalques certos para a partida contra o Corinthians, no sábado, em Santa Bárbara, aumentou ainda mais a tristeza no time. O lateral-direito Marquinhos e o meio-campista Eduardo, ambos suspensos com dois cartões amarelos, devem dar lugar Luciano e Agnaldo Xavier. Dois jogadores também preocupam o técnico Roberval Davino: o atacante Mauro e os meio-campista Henrique.A polêmica proibição da entrada de menores de 18 anos no estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães, em Santa Bárbara d´Oeste, continua. A briga vem se estendendo na Justiça Comum desde o início de fevereiro e promete se estender ainda mais. O Tribunal de Justiça de São Paulo negou o pedido de suspensão da ordem judicial que proíbe a entrada e permanência de menores e adolescente até 18 anos no estádio.A decisão foi tomada no dia 3 de fevereiro pela juíza Eliane Câmara Ferreira, da 3ª Vara da Infância e Juventude de Santa Bárbara d´Oeste, depois de avaliar que o local não oferecia o mínimo de segurança aos menores. A proibição foi válida para o jogo contra a Portuguesa, quando um considerado número de torcedores teve de ficar do lado de fora do estádio.O advogado do clube, Marco Antonio Pizzolato, já entrou com um pedido de reconsideração da decisão. Como prova de que o estádio é seguro, a diretoria do União Barbarense tem em mãos um laudo da Polícia Militar constatando que o campo não corre riscos de explosão e incêndio.A decisão, que gerou grande pôlemica na cidade, continua sendo bastante constestada pelo presidente do União Barbarense, Roberto Mantovani Filho. O dirigente, inclusive, chegou a dizer que tiraria o time do campeonato caso a proibição continuasse. "Se não tem condições de jogo, vou pedir a desfiliação, então", comentou Mantovani, na época.Existia até mesmo a possibilidade do União Barbarense de mandar os jogos em Piracicaba, para fugir da decisão da juíza Eliane. "Além dos problemas financeiros que essa decisão vem causando, isso pegou muito mal para a cidade", reclamou Mantovani.Agora, o time de Santa Bárbara d´Oeste tem mais duas partidas para realizar em seu estádio e luta para conseguir a autorização. O Ministério Público também investiga a denúncia de que menores teriam assistido o jogo contra a Portuguesa, no dia 5 de fevereiro. Se for confirmada, o clube terá de pagar uma multa de três a 20 salários mínimos e ainda teria o estádio interditado.Além do problema com a Justiça, o Barbarense luta contra o rebaixamento. O time tem 11 pontos na penúltima posição e se livrar da Série A-2 parece uma missão quase impossível mesmo para o técnico Roberval Davino, que estreou com vitória, domingo, diante do União são João.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.