Descansado, Luís Fabiano promete o que sabe

A frase "ir para a bola como se fosse um prato de comida" é famosa no futebol, para demonstrar a vontade do jogador em determinados lances. Luís Fabiano promete extrapolá-la no jogo de hoje. "Vou entrar como se eu tivesse de comer a comida e o prato também. Não vejo a hora de a partida chegar." Muita vontade de vencer e maior ainda de ficar longe de confusão. "Nem quero falar de vingança ou de revanche. Essa conversa termina em briga e em porrada. Se a gente entrar nessa, fica difícil de ganhar. O time deles é bom e a gente tem de ganhar jogando bola, só isso."O descanso no domingo, quando ficou fora da partida contra o União Barbarense foi muito bom, garante Luís Fabiano. "Estou muito bem, estou recuperado fisicamente porque senti um pouco da altitude em Quito, principalmente no aquecimento."Se marcar, Luís Fabiano pode ficar tranqüilo - se a promessa de Fabão for cumprida. "Nossa defesa vai render bem mais do que na semana passada. Não é desculpa falar em altitude, mas a bola realmente ganha mais velocidade. A gente foi enganado por isso, mas vamos ter o mesmo rendimento dos outros jogos agora. Não podemos errar também tantos passes como naquele jogo", disse o zagueiro.Fabão alertou também para a qualidade técnica de Aguinaga e deu um aviso aos companheiros. "O Aguinaga desmentiu uma vez mais o preconceito contra jogadores veteranos. Ele é que dá o ritmo do time deles. E nós temos que tomar cuidado com as faltas próximas à área. Eles têm bons cobradores e a bola parada pode definir um jogo desses."A idéia do São Paulo é marcar a saída de bola da LDU. Adiantar a marcação e buscar o gol desde o início. "Esse tipo de predisposição em campo exige muito mais dos jogadores do que quando se atua em contra-ataques, mas estamos bem preparados para exercer as duas táticas", diz o preparador físico Carlinhos Neves.O que vai mudar também é o posicionamento do atacante Grafite, dependendo de como a LDU montar a defesa para o jogo de hoje. "Quando o adversário joga com dois zagueiros, eu acompanho mais a saída dos volantes. Quando eles jogam com três zagueiros, eu fico posicionado de maneira mais fixa, ajudando o Luís Fabiano".Com uma tática ou com outra, o São Paulo aposta muito na sua torcida. "A nossa casa vai estar cheia e isso vai ajudar muito o nosso time", diz Luís Fabiano.

Agencia Estado,

10 de março de 2004 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.