Robert Ghement/EFE
Robert Ghement/EFE

Deschamps admite dificuldades da França na estreia e exalta árbitro de vídeo

VAR foi usado pela primeira vez na história das Copas para corrigir um pênalti não marcado sobre o atacante Griezmann

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 12h02

O técnico Didier Deschamps reconheceu as dificuldades enfrentadas pela seleção da França em sua estreia na Copa do Mundo, neste sábado. Uma das favoritas ao título na Rússia, a equipe francesa sofreu para superar a Austrália, por 2 a 1, em Kazan, na abertura do Grupo C. Deschamps não escondeu que a histórica utilização do árbitro de vídeo (VAR, como é chamado) beneficiou sua equipe.

+ França sofre, mas bate Austrália em jogo com uso de tecnologias

+ LANCES: França x Austrália

+Saiba mais sobre a tecnologia no futebol e o uso do VAR 

"Eu não vou reclamar quanto ao uso do vídeo hoje. Ajudou a corrigir um erro", disse o treinador. O VAR foi usado pela primeira vez na história das Copas para corrigir um pênalti não marcado sobre o atacante Griezmann, no segundo tempo da partida. Ao recorrer ao recurso, o juiz uruguaio Andrés Cunha mudou sua decisão e anotou a penalidade.

"Quando eu recebi a carga, tinha certeza de que seria pênalti. O árbitro não assoprou o apito. Então, segui em frente. Mas, quando ele foi checar se houve a penalidade, eu pensei imediatamente em como iria cobrá-la", disse o atacante, que marcou o primeiro gol da partida.

 

O segundo gol francês também contou com o auxílio da tecnologia. Quando a partida estava empatada por 1 a 1, Pogba acertou o travessão e viu a bola bater perto da linha e sair. O árbitro confirmou que a bola entrou pela tecnologia da linha do gol.

Deschamps admitiu que a França teve mais dificuldade do que esperava diante da modesta equipe da Austrália, que havia perdido seus três jogos na fase de grupos na Copa do Mundo do Brasil, há quatro anos.

"Foi um jogo complicado. Enfrentamos um bom time da Austrália hoje. Acho que poderíamos ter atacado mais para impor maior pressão. Perdemos bastante no toque de bola e na flexibilidade ofensiva. Mas vamos melhorar", projetou o treinador. "Mas, no final das contas, vencer na estreia era muito importante."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.