Deschamps admite dúvidas para escalar a França

A França encerrará sua participação na fase de grupos das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2014 na próxima terça-feira, quando enfrenta a Finlândia, em Paris. A não ser que a Espanha, líder da chave, seja surpreendida nas duas partidas que lhe restam, a seleção francesa, segunda colocada, acabará indo para a repescagem na briga por uma vaga no Mundial.

AE, Agência Estado

10 de outubro de 2013 | 15h45

Além da situação perigosa nas Eliminatórias, a França tem que lidar com outro problema. Com diversos jogadores fora por lesões, o técnico Didier Deschamps não esconde que ainda não sabe qual time levará a campo contra os finlandeses. "Os melhores 11? Isso ainda pode mudar. Algumas escolhas são mais difíceis, em uma, duas, no máximo três posições", comentou.

Para definir a escalação, Deschamps espera testar o maior número possível de jogadores no amistoso desta sexta-feira, diante da Austrália, também em Paris. "Tenho a chance de fazer seis mudanças na primeira partida, dar jogo aos jogadores. Dos 23, a maioria vai jogar. Não farei dois times idênticos, mas também não farei 11 mudanças para pegar a Finlândia. É preciso manter a espinha."

Uma das principais dúvidas de Deschamps é no ataque. Benzema tem sido titular, mas não marca um gol pela seleção há 15 partidas. Enquanto isso, Giroud tem sido um dos destaques do Arsenal nesta temporada e pode ganhar a vaga. "Um deles vai começar jogando. Eu acreditei no Karim (Benzema), ainda acredito nele, e no Olivier (Giroud) também. Um pode substituir o outro", disse o treinador.

Outro setor ainda indefinido é a lateral esquerda. Patrice Evra, do Manchester United, e Gael Clichy, do rival City, brigam pela posição. "É verdade que eles estão muito próximos, mesmo que o Patrice tenha jogado mais vezes que o Gael. Mas talvez ambos possam fazer um pouco mais", comentou Deschamps.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção francesaDeschamps

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.