Franck Fife / AFP
Franck Fife / AFP

Deschamps critica Rabiot por pedido de exclusão da lista de suplentes da França

Técnico diz que consideraria chamar atleta no futuro e que espera que atleta consiga crescer com a decepção

Estadão Conteúdo

23 de maio de 2018 | 12h38

Adrien Rabiot cometeu um "grande erro" ao pedir para ser retirado da lista de jogadores suplentes da seleção francesa para a Copa do Mundo, afirmou, nesta quarta-feira, o técnico Didier Deschamps. O treinador revelou que o jogador lhe enviou um e-mail no início desta semana em que dizia não estar preparado para ser um dos jogadores da relação de reservas.

+ Para evitar Brasil, França manipulou sorteio para Copa de 98

+ Capitães dos rivais do Peru enviam carta à Fifa em apoio a Guerrero

O meio-campista do Paris Saint-Germain foi deixado de fora da lista de 23 convocados da França para a Copa do Mundo, divulgada na semana passada, mas havia sido incluído na relação de 13 suplentes que podem ser acionados em caso de lesão de jogadores do grupo principal.

"Eu fiquei obviamente surpreso", disse Deschamps. "Eu posso entender sua imensa decepção, mas estou convencido de que ele cometeu um grande erro. Espero que isto o ajude a crescer e a pensar. Quando você joga no nível mais alto, você não pode deixar as emoções tomarem conta."

A maior surpresa na lista de Deschamps foi a inclusão do volante Steven Nzonzi, do Sevilla, na vaga que se imaginava ser de Rabiot. Quando fez a convocação, o treinador justificou a ausência do meio-campista de 23 anos pelo seu desempenho ruim com a camisa da seleção. "A equipe da França está acima de tudo", disse Deschamps. "Estou surpreso porque ele é um jogador jovem, com apenas alguns jogos."

Rabiot fez seis jogos pela França, durante as quais ele não conseguiu impressionar. Segundo o jornal L'Equipe, ele tomou a decisão de escrever para Deschamps sozinho e ficou desapontado por não receber mais apoio do seu clube depois do treinador esquecê-lo. Perguntado se ele consideraria chamar Rabiot novamente no futuro, Deschamps disse que "nunca tomou posições radicais".

A história, no entanto, mostra o contrário: Deschamps não voltou a chamar Karim Benzema para a seleção desde que o atacante do Real Madrid declarou que o treinador da França curvou-se à pressão de uma parte racista do país em deixá-lo fora do grupo de jogadores convocados para a Eurocopa de 2016.

Vice-campeã continental há dois anos, a França abrirá a sua participação na Copa do Mundo contra a Austrália, em 16 de junho. A equipe vai se encontrar com o Peru cinco dias depois e fechará a sua participação na fase de grupos em 26 de junho, contra a Dinamarca.

Os jogadores convocados por Deschamps para o torneio na Rússia se apresentaram nesta quarta-feira no CT da seleção em Clarefontaine. Raphael Varane, que vai disputar a final da Liga dos Campeões pelo Real Madrid no sábado, se juntará ao elenco depois.

Deschamps deu notícias tranquilizadoras sobre Ousmane Dembelé, que torceu o tornozelo enquanto jogava pelo Barcelona na semana passada. "Eu temia o pior, mas a possibilidade de ser uma lesão grave está descartada", disse o treinador da França, acrescentando que Dembelé poderá até ser utilizado no amistoso da próxima semana contra a Irlanda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.