Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Deschamps defende que Griezmann ou Mbappé ganhem prêmio de melhor do mundo

Técnico da França elogia destaques da sua seleção no título da Copa do Mundo da Rússia

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2018 | 09h42

Treinador da seleção francesa, Didier Deschamps defendeu que os prêmios de melhor jogador do mundo, da Fifa e da revista France Football, que é responsável pela Bola de Ouro, sejam entregues a algum integrante da França campeã do mundo. O técnico disse que a campanha na Copa do Mundo justificaria essa decisão e indicou Antoine Griezmann e Kylian Mbappé como possíveis candidatos.

+ Região metropolitana de Paris é celeiro de craques do futebol mundial

+ Para Lloris, conquista da França terá um impacto forte na sociedade

+ Após título da França na Copa, seleção é recebida com festa em París

"Espero que um francês ganhe a Bola de Ouro, seria algo bom. Pelo o que meus jogadores fizeram no Mundial e porque o venceram", afirmou Deschamps em entrevista publicada neste sábado pelo jornal L'Équipe, da França. De acordo com o técnico, Griezmann "merece" ser escolhido, mas "não é o único" e também citou Mbappé.

Empatados com Cristiano Ronaldo, Romelu Lukaku e Denis Cheryshev, os atacantes franceses foram vice-artilheiros do Mundial, com quatro gols cada, dois a menos do que o inglês Harry Kane. Grizemann e Mbappé brilharam também na final da Copa do Mundo, quando marcaram uma vez cada contra a Croácia, no último domingo, na vitória da França por 4 a 2.

Deschamps, porém, entende que é natural que os prêmios revezem entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. "Por tudo o que eles representam, eles sempre estão por lá", resumiu o técnico, que colocou Neymar em terceiro lugar na lista dele, feita sem a influência do desempenho anual dos jogadores, que é o critério utilizado nos prêmios de melhor do mundo.

A Bola de Ouro da France Football é entregue desde 1956, mas só jogadores europeus podiam vencê-la até 1994, enquanto o prêmio de melhor do mundo da Fifa foi criado em 1991. Uma parceira entre a entidade e o veículo de comunicação francês unificou as premiações válidas pelas temporadas entre 2010 e 2015, mas elas voltaram a ser entregues de forma separada depois disso.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.