Divulgação
Divulgação

'Crias' de Zito, Robinho e Neymar exibem gratidão ao ídolo

'Eterno capitão' se despediu na noite do último domingo

Estadão Conteúdo

16 de junho de 2015 | 12h21

Dois dos melhores jogadores revelados pelo Santos nos últimos anos, Robinho e Neymar também têm em comum a passagem pelas mãos de Zito para se tornarem jogadores do clube e terem êxito na carreira. Por isso, mesmo no Chile, onde participam da Copa América pela seleção brasileira, eles não deixaram de lembrar, enaltecer e exibirem gratidão ao eterno capitão santista, que morreu na noite do último domingo.

Em vídeo publicado pela CBF, Robinho lembrou que Zito insistiu com Marcelo Teixeira, então presidente do Santos, para que o atacante fosse promovido aos profissionais. E logo em seu primeiro ano na equipe principal, ele conquistou o título do Campeonato Brasileiro pelo clube.

"Fiquei muito triste com a notícia do falecimento do Zito. Uma pessoa que nos ajudou no começo da nossa carreira. Faltam palavras para agradecer por tudo o que fez por nós. Ele insistia para o presidente Marcelo Teixeira me colocar no profissional do Santos, e isso aconteceu", disse Robinho.

Já Neymar, como contado várias vezes pelo próprio Zito, foi descoberto pelo ex-capitão santista ainda quando era uma criança disputando uma partida de futsal. Assim, o hoje craque do Barcelona agradeceu o apoio e a confiança recebida nos primeiros passos da sua carreira.

"Foi um cara que acreditou em mim e que me levou ao Santos. O que ele fez pela minha família não tem preço. Deixo meus sentimentos para toda a família, que Deus conforte o coração de todos", afirmou.

Zito, que faleceu aos 82 anos, foi um dos destaques do grande time do Santos, nos anos de 1950 e 1960, sendo campeão mundial em 1962 e 1963 e ainda levantando outras taças importantes. Titular absoluto da seleção brasileira, ele se destacou nas conquistas das Copas do Mundo de 1958, na Suécia, e 1962, no Chile. E também esteve presente na seleção na Copa de 1966, na Inglaterra.

Quando encerrou a carreira, Zito passou a trabalhar no Santos, sempre ligado às categorias de base. Ele Foi o responsável, entre outras descobertas, por levar Robinho ao time juvenil santista. Mais tarde, também se encantou com Neymar nas quadras de futsal da Baixada Santista. Assim, no último domingo, o Santos e o futebol brasileiro perderam um dos grandes nomes das suas histórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.