Gille e Neymar Jr./Divulgação
Gille e Neymar Jr./Divulgação

Desculpa 'patrocinada' de Neymar é parte de um contrato que custa mais de R$ 25 milhões

Atacante tem acordo milionário com Gillette e propaganda contou com o aval da empresa de seu pai

O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2018 | 10h21

O vídeo em que Neymar pede desculpas e admite seus erros durante a Copa do Mundo pode não ter sido bem aceito pelos torcedores e até por alguns publicitários, mas ajudou o craque da seleção brasileira a enriquecer um pouco mais. O contrato dele com a Gillette, responsável pela veiculação do comercial, dá ao astro algo em torno de US$ 7 milhões (R$ 26,2 milhões). 

+ Comercial com Neymar gera polêmica e divide mercado publicitário

+ Na França, vídeo publicitário de Neymar é chamado de 'surrealista'

+ Análise: Com desabafo em comercial, Neymar faz gol contra sua própria carreira

O acordo do jogador com a empresa foi selado em 2015 e renovado recentemente. O jogador não recebe por propagandas, mas sim por horas trabalhadas durante as gravações de comerciais ou seção de fotos. 

E ainda todo o material publicitário feito pela empresa de barbeador passa pela aprovação da Neymar Sports Marketing, empresa que tem o pai do jogador, Neymar da Silva Santos, e a mãe do atleta, Nadine Gonçalves, como proprietários. O vídeo foi exibido pela primeira vez no domingo à noite, no intervalo do Fantástico, da TV Globo. Nele, Neymar admite exageros no torneio da Rússia, desabafa sobre as críticas e promete superação. Entretanto, o que era para ser algo positivo, se tornou algo ainda mais negativo para o atleta. 

Além de críticas no Brasil, publicitários se dividiram sobre o tema, mas, em geral, condenaram a postura do atleta. O comercial não parece verdadeiro. Até no exterior, o jogador da seleção brasileira e do PSG foi duramente criticado.

Tudo o que sabemos sobre:
NeymarpublicidadeGillette

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.