Desempenho deixa Ricardinho satisfeito

Mesmo sem Robinho, que nem treinou, e sem Deivid, que não renovou, os jogadores do Santos recuperaram a alegria contagiante de disputar o Campeonato Brasileiro e, nem parece que o time entrou na fase do teste da realidade. Pelo menos é o que pensa o capitão do time, Ricardinho, após a vitória sobre Goiás, que entrou como favorito no jogo devido aos desfalques santistas. "O time está bem, estamos procurando somar pontos e ter regularidade no Campeonato, que é longo, mas nós entramos no jogo sabendo que teríamos todas as condições para melhorar o nosso posicionamento", afirmou Ricardinho, autor do quarto gol, que deu a vitória ao Santos e acabou com a invencibilidade de 15 jogos do Goiás no Serra Dourada. Antes do jogo, o que ele mais ouviu foram perguntas insistentes sobre a perda de rendimento do Santos pela ausência da famosa dupla de ataque, que marcou 42 dos 80 gols marcados pelo Santos em 2005. No final do jogo, Ricardinho comentou: "Nosso time não está em queda, nosso time está muito bem", disse ele. "A gente tem de viver a realidade pois, se os jogadores (Robinho e Deivid) não podem atuar por circunstâncias individuais, ou por questões de transferência, nós temos que trabalhar com o grupo que temos", disse. Com altivez e boa cabeça, Ricardinho explicou que os problemas previsíveis dessa nova etapa, ainda sem Deivid e Robinho, vão desde a necessidade de ajustes, na formação da linha de ataque, até o posicionamento do meio-campo. "O jogo foi aberto, faltou atenção na marcação e nos contra-ataques do Goiás no primeiro tempo mas nos posicionamos bem, no segundo tempo para aproveitar as falhas, contra-atacar e vencer", comentou. Para o técnico Gallo, a vitória foi importante mas não escondeu os problemas de sua equipe: "Na verdade, nós temos de melhorar muito mais", disse ele após o jogo, mostrando-se ainda tenso. "Nós temos de criar mais chances de gol", indicou. Para Fabinho, o essencial agora não será a discussão sobre as ausências de Robinho e Deivid mas a motivação do time a dar a volta por cima: "Eu mesmo vim para Goiânia pronto para jogar e ajudar a equipe na vitória", disse ele. "O importante é que a nossa equipe está disposta a colocar o Santos nos primeiros lugares do Campeonato Brasileiro", avaliou. "Isso já passou, nós temos de contar com os jogadores que estão e temos certeza de que o jogadores que estão vão suprir as ausências e vamos fazer o melhor no Campeonato", disse Bóvio, um dos destaques da equipe, sobre a influência das mudanças nos planos futuros do santos no campeonato. "Já passou, passou", afirmou. A velocidade no ataque e as jogadas repletas de alternativas que consumaram em gols a favor do time praiano, foi a razão da vitória, na opinião de Douglas, relegado à reserva no Goiás, no ano passado. "Não vacilamos, jogamos determinados", disse ao atacante, que promete acabar com o ceticismo sobre o ataque sem Robinho. Nas estatísticas e jogando em Goiânia, em 16 jogos o Santos ganhou hoje a terceira partida. Obteve seis empates e perdeu sete jogos para o Goiás. No total de 30 jogos e 95 gols pelo Brasileiro e a Copa do Brasil, o Santos venceu 8 e fez 46 gols, empatou 12 jogos e perdeu 10 para o adversário Goiás. Já Paulo César acredita que o time precisa melhorar o posicionamento e fechar mais na marcação. "Não poderíamos deixar, como deixamos, o Paulo Baier e o Jadilson tão soltos no jogo", disse ele. "Também deveríamos ter aproveitado melhor os contra-ataques", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.