Desempenho do time preocupa o Santos

O empate por 0 a 0 com o Juventude, neste domingo à noite, na Vila Belmiro, serviu para mostrar que o Santos vai demorar para se refazer se Robinho realmente for embora e que o técnico Alexandre Gallo tem poucas chances de continuar no cargo até o clássico com o São Paulo, dia 17. Os torcedores que lotaram a Vila Belmiro ainda tentaram apoiar o time, mas quando o juiz Djalma José Beltrami Teixeira apitou o fim da partida, vaiaram a saída dos jogadores e campo e gritaram o nome de Leão.Na coletiva de imprensa, Gallo reconheceu que o seu time esteve abaixo do normal. "Perdemos dois pontos, mas poderia ter sido pior. Fomos melhores no primeiro tempo, com pelo menos quatro chances claras de gol, mas o segundo foi do Juventude, que jogou bem melhor do que a gente", admitiu. Quanto as vaias e os gritos da torcida pedindo Leão, Gallo foi direto na resposta. "Isso não me incomoda." Giovanni, o melhor santista da partida, ficou frustrado com o resultado. "Infelizmente não jogamos o que deveríamos e agora é procurar recuperar os dois pontos com uma vitória fora de casa no próximo jogo (Goiás, domingo, às 16h, em Goiânia)." A principal queixa da torcida contra Gallo foi a escalação de Tcheco, que ainda não justificou a contratação e, como no jogo contra o Atlético Paranaense, na Vila, pela Copa Libertadores, teve que ser substituído com poucos minutos do primeiro tempo. Paulo César, que poderia ser o substituto de Zé Elias (machucou-se no rachão de sábado), no meio-de-campo, com Flávio entrando na lateral-direita, saiu em defesa do técnico. "Até poderia jogar no meio, mas começando na posição, mas com a partida em andamento, esse tipo de mudança é complicada", disse. Paulo César elogiou a marcação do Juventude e pede que a torcida tenha paciência com o time. "Fizemos um bom jogo contra o São Caetano, mas não conseguimos repetir a essa atuação. Mesmo assim, poderíamos ganhar se tivéssemos um pouco mais de calma e pontaria." Os dirigentes se negam a falar sobre os reforços prometidos a Gallo. As respostas são sempre que quando alguma negociação for concluída, a imprensa será comunicada. Os comentários são de que após os dois jogos do São Paulo, pela decisão da Copa Libertadores, o goleiro Roger, reserva de Rogério Ceni, deve trocar o Morumbi pela Vila Belmiro. Para a zaga, a intenção é repatriar um jogador de nível de Seleção. O Santos ainda estaria interessado na contratação de um atacante e um meia armador.Com relação a Deivid, cujo contrato e empréstimo terminaram no último dia 30, a informação da assessoria de imprensa do Santos, neste domingo, foi de que o procurador do jogador, Jorge Moraes, telefonou dizendo que entre até terça-feira o Bordeaux, clube francês com o qual o atleta teria contrato, vai dar uma resposta à proposta santista. Consta que o Santos estaria oferecendo dois milhões de euros por 50% da multa rescisória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.