Lucas Figueiredo/ CBF
Lucas Figueiredo/ CBF

Desfalcada, seleção brasileira inicia preparação para nova rodada tripla das Eliminatórias

Tite comanda atividade com apenas dez convocados; jogo com a Venezuela é na quinta-feira

Redação, Estadão Conteúdo

04 de outubro de 2021 | 20h39

A seleção brasileira deu início nesta segunda-feira à preparação para enfrentar a Venezuela, em partida válida pela 11ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo. O grupo treinou desfalcado, já que somente 10 dos 25 jogadores convocados pelo técnico Tite se apresentaram em Bogotá, na Colômbia.

O goleiro Weverton, o zagueiro Thiago Silva, os laterais Danilo, Alex Sandro e Guilherme Arana, os meio-campistas Fred, Edenílson e Éverton Ribeiro, e os atacantes Raphinha e Gabriel Barbosa foram os atletas que participaram do primeiro treinamento.

Weverton, Guilherme Arana, Edenílson, Gabriel e Everton Ribeiro, quinteto que atua no Brasil, foram os últimos a chegar nesta segunda à capital colombiana. O grupo ficará completo na madrugada desta terça-feira, quando se apresentam os demais convocados. Todos virão da Europa.

Tite vai comandar dois trabalhos com o elenco completou antes do confronto com a Venezuela, marcado para quinta-feira, às 20h30 (de Brasília), em Caracas. Na sequência, a seleção tem pela frente Colômbia e Uruguai. A partida contra os colombianos será no domingo, em Barranquilla, às 18 horas, enquanto que o duelo contra os uruguaios está marcado para as 21h30 do dia 14, na Arena Amazônia, em Manaus.

Diante dos Venezuelanos, o Brasil não terá Neymar, suspenso pelo segundo cartão amarelo. A seleção lidera as Eliminatórias com 100% de aproveitamento após oito jogos e está perto de garantir a vaga no Mundial do Catar com antecedência.

"Obviamente, se classificar o quanto antes é sempre bom. Porém, nosso pensamento é sempre jogar para vencer, demonstrar o nosso melhor, demonstrar tudo o que a gente vem fazendo. Nesses próximos jogos vamos tentar fazer nosso melhor para ter a classificação em mãos", disse o lateral Alex Sandro.

Ele também falou sobre a disputa por posição com Guilherme Arana na esquerda. "Não só na lateral esquerda, mas em todas as posições, é sempre bem difícil, mas também bem saudável a disputa por posições na seleção brasileira. Temos ótimos jogadores, podemos citar de quatro a cinco nomes em cada posição. Me sinto bem, os outros laterais estão muito bem em seus clubes e, quando vêm para a seleção, demonstram seus valores", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.