Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Desfalcado do zagueiro Réver, Atlético-MG faz treino no Mineirão

Alvinegro treina no estádio que será palco de estreia na Libertadores, contra o Cerro Porteño

Redação, Estadão Conteúdo

04 de março de 2019 | 20h18

O Atlético-MG trocou o local de treino nesta segunda-feira. Em vez de realizar a atividade na Cidade do Galo, em Vespasiano, o time foi trabalhar no Mineirão. A mudança foi uma maneira do elenco se ambientar ao gramado e ao local e se preparar melhor para o jogo desta quarta-feira, quando o clube faz a estreia na Copa Libertadores diante do Cerro Porteño, do Paraguai.

O trabalho no estádio não teve a presença do zagueiro e capitão Réver. O defensor sentiu um incômodo na coxa direita e passou a ser dúvida para a partida e permaneceu na Cidade do Galo, em tratamento intensivo para se recuperar. Os demais jogadores foram ao estádio e participaram normalmente do trabalho no Mineirão.

O time jogou no Mineirão somente uma vez nesta temporada, no empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. Após atuar nas duas partidas da fase preliminar da Libertadores no estádio Independência, a diretoria preferiu trocar de local motivado principalmente por ampliar as receitas com bilheteria, já que poderá receber o triplo de público.

Em entrevista coletiva nesta segunda, o goleiro Victor aprovou a mudança e relembrou que na última vez em que o Atlético-MG jogou no estádio foi na final da Copa Libertadores de 2013, quando saiu como campeão. "Acho legal e bacana (a mudança), até porque muita gente não consegue ir ao Independência em jogos de Libertadores por causa da capacidade. O Mineirão tem três vezes mais capacidade de público", comentou.

No Grupo E da Copa Libertadores, o Atlético-MG terá pela frente na fase de grupos além do Cerro Porteño, o Nacional, do Uruguai, e o Zamora, da Venezuela. Para encerrar a preparação para a estreia, o time vai fazer na terça-feira o último treino, que será desta vez na Cidade do Galo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.