Divulgação/Ag. Palmeiras
Divulgação/Ag. Palmeiras

Desfalcado por seleções, Palmeiras tenta se renovar para a Copinha

Clube perde sete jogadores para Sul-Americano sub-20 às vésperas de início de torneio

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2018 | 04h30

O Palmeiras se vê na curiosa situação de ser punido pelo próprio sucesso. O clube brasileiro a ter vencido mais competições das categorias de base em 2018 perdeu sete jogadores às vésperas da estreia na Copa São Paulo de Futebol Junior, marcada para 3 de janeiro. O sucesso da equipe nas competições levou os atletas a serem convocados para a disputa do Sul-Americano sub-20, no Chile.

O time alviverde cedeu à seleção brasileira o zagueiro Vitão, o lateral Luan Cândido os meio-campistas Alan, Gabriel Menino e Gabriel Furtado, mais o atacante Papagaio. Já para a seleção paraguaia irá o atacante Aníbal. Todos participaram das campanhas vitoriosas do Campeonato Brasileiro, Campeonato Paulista e mais recentemente da Copa RS, disputada no início de dezembro.

Todos os jogadores estão fora do Palmeiras e já iniciaram a preparação para o Sul-Americano, que começa no dia 17. O elenco alviverde retornou ao trabalho no CT em Guarulhos dia 26, após a folga de Natal, e tem estreia na Copinha no dia 3, contra o Galvez (AC), em Capivari, local da disputa dos três compromissos da fase de grupos. Os outros dois adversários na etapa inicial serão XV de Piracicaba e Capivariano.

Apesar de reconhecer a perda da força com as convocações, o Palmeiras tenta manter o otimismo para a estreia na Copinha. "Os sete jogadores convocados são um reconhecimento do trabalho do clube na base, do grande ano que tivemos no Sub-20. Quem entrar na Copa São Paulo vai dar conta e mostrar que temos um elenco forte", afirmou o lateral-direito Marcus Meloni.

A Copinha traz para o Palmeiras o desafio de ser uma conquista inédita na história. Vencedor de vários títulos nos últimos anos, o clube ainda busca a primeira taça no torneio. "A Copinha é um torneio que todos sonham em disputar na base, esperamos manter o mesmo nível de atuações que tivemos em 2018. Chegamos a várias finais, conquistamos títulos. Sabemos que pode ser um título inédito para o clube e faremos de tudo para conquistar", disse Meloni.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.