Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Desfalques deixam Estevam preocupado

"Quem achar que o jogo será fácil, está enganado. Se for assim, é melhor nem entrar em campo." Mais do que respeito ao adversário, a afirmação do técnico Estevam Soares demonstra que o Palmeiras está preocupado com seus problemas para enfrentar o Paraná, às 20h30, no Palestra Itália. Sem duas peças fundamentais no seu esquema tático - o volante Magrão, na seleção brasileira, e o meia Elson, com inflamação no joelho direito -, o treinador exige seriedade para que o Palmeiras não seja surpreendido por uma equipe que está na zona de rebaixamento do campeonato. "O Paraná vem de bons resultados e vai tentar aproveitar nossos erros", alertou Estevam.Contra a possível retranca do rival, Estevam manda a campo uma formação mais ofensiva, com Diego Souza no lugar de Elson e Correia na vaga de Magrão. Mas o esquema não agradou totalmente, tanto que no treinamento desta quarta-feira, no qual os titulares não atuaram bem, o atacante Renaldo jogou por alguns minutos no lugar de Diego Souza. Se esta for a opção, Pedrinho voltará à sua posição de origem, na armação das jogadas. "Sem o Magrão e o Elson, perdemos muito na posse de bola e na aproximação do meio-campo com o ataque", revelou o treinador.O goleiro Sérgio, porém, procurou minimizar as ausências. "O Magrão é diferenciado, realmente fará muita falta. Mas para o lugar do Elson, temos outros jogadores que podem desempenhar essa função", afirmou.Conquistar uma vaga na Copa Libertadores é o principal objetivo do elenco palmeirense. Mas o técnico Estevam Soares considera que o time tem de melhorar para chegar ao torneio sul-americano. "Precisamos de uma seqüência de bons resultados e um pouco mais de confiança", disse. "Não sei quantos pontos precisamos somar. Temos de pensar num jogo de cada vez."

Agencia Estado,

06 de outubro de 2004 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.