Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Montagem: Gilvan de Souza/Flamengo e Nelson Perez/Fluminense FC
Montagem: Gilvan de Souza/Flamengo e Nelson Perez/Fluminense FC

Desgastado, Flamengo encara Fluminense no 1º jogo da final do Carioca

Rubro-negro tem desfalques e ainda não definiu equipe, ao contrário do tricolor, já confirmado para a decisão

Estadão Conteudo

30 de abril de 2017 | 06h18

Um time com mistérios e buscando superar o cansaço da Copa Libertadores. O outro relativamente descansado e com a escalação já definida. É assim, em ritmos bem distintos, que Flamengo e Fluminense fazem o decisivo clássico deste domingo, no estádio do Maracanã, no Rio, pelo primeiro jogo da final do Campeonato Carioca.

Para o Flamengo, por um lado, o duelo ocorre em um momento complicado. Depois de perder para o Atlético Paranaense na última quarta-feira, em Curitiba, pela Libertadores, a equipe recebe a Universidad Católica, do Chile, nesta quarta, e precisa vencer para não se complicar na competição.

Assim, o técnico Zé Ricardo já antecipou que pode poupar "um ou dois" titulares para a decisão do Campeonato Carioca. Há, ainda, a dúvida sobre Everton, recuperado de contusão. Embora esteja sem ritmo, ele deve ir para o jogo até para se preparar melhor à Libertadores.

Outra novidade pode ser a presença do atacante colombiano Berrío. Suspenso na competição sul-americana, ele está descansado e pode ajudar Zé Ricardo a controlar o desgaste do elenco. "O Berrío é um atleta que, em pouco tempo, se mostrou extremamente profissional. Não temos nenhum tipo de problema quando ele joga ou não. Ele se prepara muito, sempre utilizando o que tem de melhor, que é a velocidade", comentou o treinador.

O Fluminense, por outro lado, até teve uma partida no meio de semana - contra o Brasil, de Pelotas (RS), pela Copa da Primeira Liga. Mas como o técnico Abel Braga escalou um time misto, os titulares estão focados na decisão.

Sem novidades, assim, o time deve ter a mesma escalação da vitória sobre o Vasco, na semifinal do Campeonato Carioca, com Wendel novamente iniciando no meio de campo. E, como tem sido costume, Abel Braga prometeu um time ofensivo.

"É só você ver a cara da equipe. Nós não temos volante que para a jogada. Não temos zagueiro brucutu. Não temos laterais que dão porrada. Por incrível que pareça o jogador mais agressivo da nossa equipe é o atacante, o Richarlison", destacou o técnico. "E nós vamos continuar assim".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.