Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Desmanche e tabu no Brasileiro são os desafios do Santos

Gabriel, Lucas Lima e Ricardo Oliveira podem deixar o clube

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2016 | 07h00

Depois do quinto título estadual em oito finais, o Santos desafia um tabu no Campeonato Brasileiro. Desde 2007, a equipe não chega entre os quatro melhores do torneio. Neste ano, a situação será ainda mais delicada: Gabriel, Lucas Lima e Ricardo Oliveira foram convocados para a Copa América e ficarão fora das nove primeiras rodadas. Depois disso, podem ser negociados. Ou seja, existe a possibilidade de que nem voltem ao clube. 

É grande as chances de os três principais jogadores do clube saírem. O empresário Vagner Ribeiro revela que o Real Madrid enviou emissários para observar as finais do Campeonato Paulista para olhar Gabriel e Lucas de perto. “O Santos não tem muito interesse em vender o Lucas Lima porque tem uma porcentagem baixa de seus direitos. Eles preferem mantê-lo. Mas o clube admite vender Gabriel”, diz o empresário. “Os dois estão no radar do futebol europeu há algum tempo.” 

Aos 26 anos, Lucas Lima acha que a próxima janela de transferências é o momento de se transferir para a Europa. Embora o Santos tenha apenas 10% dos direitos econômicos do atleta, o grupo Doyen Sports, que detém 80%, e o empresário Edson Khodor, com os outros 10%, pressionam para que o negócio saia ainda este ano. Além do Real Madrid, os clubes ingleses também demonstraram interesse. 

Após o título, Gabriel desconversou sobre seu futuro. Convocado para o time principal e praticamente garantido na seleção olímpica, o atacante avalia que o clube dificilmente vai conseguir segurá-lo diante de uma boa proposta da Europa. Boas atuações nos torneios internacionais seriam o carimbo do passaporte do jogador de 19 anos. 

Já os empresários de Ricardo Oliveira esperam uma nova proposta do futebol chinês. Eles avaliam que o negócio só não foi fechado no mês de fevereiro, quando chegou a primeira proposta, porque não houve tempo hábil para a negociação. Os chineses prometeram voltar. O clube afirma que pretende se reforçar sem perder os principais jogadores. Existe, no entanto, a necessidade financeira de conter o déficit de R$ 78 milhões registrado em 2015. O presidente Modesto Roma Junior confirmou os nomes dos dois primeiros reforços. O atacante Rodrigo foi um dos destaques da Copa do Nordeste na qual Campinense perdeu a decisão para o Santa Cruz.

O outro é o zagueiro Fabián Noguera, do Banfield, que não disputa uma partida oficial há quase seis meses justamente por conta de seu acerto com o time paulista. O clube também está perto de contratar o meia Emiliano Vecchio, que está no Qatar SC. O técnico Dorival Junior reafirmou a necessidade de reforços. Além de perder as três estrelas do clube, ele teme que Thiago Maia, Zeca e Gustavo Henrique sejam convocados para a disputa da Olimpíada. Preocupado em valorizar o elenco, o treinador utilizou a festa do título, ainda no vestiário, para agradecer àqueles que não jogaram. O treinador sabe que terá de contar com eles. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.