Desmanche no Palmeiras

A reformulação no Palmeiras para o segundo semestre é ainda maior do que esperavam os torcedores e os próprios jogadores. Hoje, a diretoria anunciou que o volante Galeano, depois de vestir a camisa alviverde por 13 anos, está liberado para procurar clubes interessados. O técnico Vanderlei Luxemburgo avisou que não pretende mais aproveitá-lo no elenco. "O Galeano continuará treinando até que encontre uma equipe, mas já está sabendo que não será usado pelo treinador", afirmou Sebastião Lapola, diretor de Futebol. Galeano, que tem 30 anos, disputou 463 jogos pelo Palmeiras e marcou 27 gols. Conquistou títulos importantes, como a Taça Libertadores da América, em 1999. Desde o ano passado, porém, vem tendo fracas atuações e recebendo duras críticas da torcida. Por isso, seria dispensado no início do ano, mas Luxemburgo pediu que o mantivessem no grupo para o Torneio Rio-São Paulo. A saída do volante significará redução de aproximadamente R$ 60 mil por mês na folha de pagamento. Seu contrato terminaria em setembro. As mudanças não param por aí. O lateral Daniel recebeu, da diretoria, a informação de que voltará para a Ponte Preta, que detém 50% de seu vínculo. O jogador vai acatar a decisão, mas não esconde que gostaria de permanecer no clube por mais um tempo. "Estava num bom momento, mas, se tiver de voltar para Campinas, tudo bem." Adalto, que chegou no início do ano como a solução para a lateral-esquerda, também foi liberado. Não joga mais no Palestra Itália. O mesmo ocorre com Misso, que sequer foi aproveitado no Rio-São Paulo. Na segunda-feira, outros dois atletas se desligaram do Palmeiras: o meia Alex e o volante Fernando. Alex tinha contrato até o fim do mês, mas pediu à diretoria que fosse dispensado antes. Alegou não ter mais clima para permanecer no clube, principalmente depois de ter ficado fora da lista dos convocados para a Copa do Mundo. Fernando, que quase não foi utilizado por Luxemburgo, está livre para procurar outra equipe. Até Claudecir, que ganhou a posição de titular, pode mudar de ares. O Flamengo tem interesse em sua contratação. "Houve uma sondagem, mas não proposta. Vamos esperar", disse Lapola. Arce também foi embora. Ele está com a seleção paraguaia se preparando para o Mundial. Se quiser voltar ao clube no segundo semestre, terá de aceitar redução de pelo menos 25% do salário. A Parmalat não vai mais ajudar a pagar os vencimentos do lateral. O torcedor pode esquecer os reforços. Não haverá reposição. Os dirigentes já avisaram que não vão investir em contratações. Tanto que promoveram sete atletas do time B para o principal e devem trazer mais dois do Palmeiras do Nordeste. A situação financeira é tão delicada que até o pouco conhecido atacante Nenê, do Etti Jundiaí, passou a ser sonho distante. "A negociação está complicada. Hoje em dia, depois do fim do passe, ninguém mais compra jogador", explicou Lapola.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.