Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras volta a jogar mal e perde para a Ponte Preta em casa

Torcida perde a paciência com mais uma atuação fraca do time

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2015 | 22h56

O goleiro Fernando Prass disse durante a semana que o Palmeiras ainda não está pronto, mesmo com o fim da temporada próximo. Nesta quarta, isso ficou claro. Foram dez dias de um jogo para o outro e o que se viu no Allianz Parque foi um time muito desorganizado e derrotado pela Ponte Preta por 1 a 0 com justiça. A torcida parece ter perdido a paciência e pela primeira vez, xingou o técnico Marcelo Oliveira de "burro".

Para os palmeirenses, a única coisa positiva foi a camisa especial que os atletas entraram em campo para apoiar a campanha de prevenção do câncer de mama. Depois, só problemas. A torcida, antes mesmo da bola rolar, fez um protesto com faixas e gritos avisando que a classificação para a Libertadores era obrigação. Após o resultado, ficou ainda mais difícil.

Com a bola rolando, a tática do Palmeiras era, teoricamente, um 4-3-3, entretanto, o que se viu foi um 6-0-4 com o agravante de que os seis da defesa pouco fizeram na marcação. A Ponte Preta, mesmo com um técnico interino, mostrou muito mais disciplina tática. Thiago Santos e Andrei estavam muito recuados e Zé Roberto não deu conta de marcar o meio de campo inteiro sozinho.

Sem padrão de jogo, os palmeirenses pegavam a bola e davam chutes para frente, mais se livrando da bola do que tentando criar algo. No ataque, Alecsandro ficava se debatendo com os marcadores enquanto Rafael Marques pouco se movimentava e Dudu corria desorganizadamente. 

Assim, ficou tudo mais fácil para os visitantes que não correram grandes riscos durante toda a primeira etapa, nem mesmo quando Marcelo Oliveira resolveu colocar Gabriel Jesus no lugar de Andrei. A equipe teve uma leve melhora, mas nada que desse um alento de que o empate chegaria.

Como se já não bastasse a péssima atuação do time, mais uma vez a arbitragem virou assunto. Aos 26, Felipe Azevedo fez jogada individual e chutou a bola em cima de Victor Ramos, que tentou tirar o braço, mas não conseguiu. Pênalti marcado e bem convertido por Fernando Bob, que apesar da polêmica marcação, fez com que o placar fosse mais justo.

Na etapa final, os palmeirenses demonstraram um pouco mais de vontade, mas ainda faltava a calma para organizar o jogo. O jeito foi apostar nos cruzamentos para a área, que tanto salvou o time em outros jogos. Irritada,  a torcida pediu a entrada de Cristaldo e Marcelo Oliveira atendeu. A mudança não surtiu efeito.  

E lá foi o treinador na sua última tentativa. Colocou Allione no lugar de Dudu e viveu um fato inédito: Ouviu os primeiros xingamentos. Ao som de "burro", viu seu time pressionar um pouco, mas não o suficiente para evitar mais uma derrota.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 x 1 PONTE PRETA

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e João Paulo; Thiago Santos, Andrei Girotto (Gabriel Jesus) e Zé Roberto; Dudu (Allione), Rafael Marques e Alecsandro (Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira.

PONTE PRETA - Marcelo Lomba; Jefferson, Renato Chaves, Fabio Ferreira (Tiago Alves) e Gilson; Élton, Fernando Bob (Juninho), Cristian, Felipe Azevedo (Diego Oliveira) e Biro Biro; Borges. Técnico: Felipe Moreira (interino).

GOL - Fernando Bob (pênalti), aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Dudu e Gabriel Jesus (Palmeiras); Jefferson, Gilson e Cristian (Ponte Preta).

ÁRBITRO - Rafael Claus (Fifa/SP).

RENDA - R$ 1.298.123,70.

PÚBLICO - 28.981 pagantes.

LOCAL - Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.