Susana Vera/Reuters
Susana Vera/Reuters

Destaque do City, Gabriel Jesus nega que tenha feito falta em Sergio Ramos

Brasileiro marcou o gol da vitória de virada sobre o Real Madrid, pela Liga dos Campeões

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 22h10

O brasileiro Gabriel Jesus teve uma noite inspirada nesta quarta-feira, na Liga dos Campeões da Europa. Abrindo espaço pelos lados do campo, o atacante foi fundamental para a vitória do seu clube, o Manchester City, em cima do Real Madrid por 2 a 1, na Espanha, no jogo de ida das oitavas de final da competição - foi dele o gol de empate do clube do técnico Pep Guardiola. E o atacante não concordou com quem viu falta dele no zagueiro Sergio Ramos na jogada.

"O futebol é um jogo de contato. Eu não o empurrei, apenas apoiei a mão e não o desequilibrei. Apenas pus a mão. A verdade é que não foi falta", disse Gabriel Jesus, logo após a partida.

O scout de Gabriel Jesus na temporada explica os motivos que levaram Guardiola a colocá-lo como titular na partida de ontem - o argentino Sérgio Agüero ficou no banco de reservas. Em 36 partidas, ele tem 18 gols e deu oito assistências para gol. Ontem, teve 95% de acerto nos passes, deu 42 toques na bola, recuperou a posse para sua equipe oito vezes, chutou quatro vezes ao gol do Real Madrid, criou outras três boas chances de gol, desarmou os rivais duas vezes, interceptou a bola outras duas vezes e fez seu gol, aos 33 do segundo tempo. Isco, aos 15, após passe de Vinícius Junior, abriu o placar para o Real Madrid e Kevin de Bruyne, de pênalti, fez o gol da vitória do time inglês.

"Conseguimos manter a calma e ter a cabeça no lugar mesmo depois de termos levado o gol", disse Gabriel Jesus após a partida. Ele explicou que teve uma atuação parecida com os tempos de Palmeiras, quando flutuava por todas as posições do ataque alviverde. "Eu meio que consigo ser flexível, jogar nas quatro posições do ataque - nas duas pontas, como primeiro e segundo atacante. Eu comecei assim no Palmeiras. Não tem vaidade, se precisar correr para trás para ajudar a equipe, eu corro. As pessoas não têm como ver os nossos treinos, mas é assim que eu tenho trabalhado", disse o brasileiro.

Agora, Gabriel tem 136 jogos pelo City, com 63 gols e 23 assistências, números considerados excelentes. Mesmo com a vitória fora de casa, o brasileiro afirma que a classificação ainda está aberta. "Estou feliz, jogamos em um grande estádio, contra uma grande equipe, estou muito feliz e levarei comigo essa recordação imensa desse grande jogo. Mas ainda temos a segunda partida. Precisamos ter tranquilidade. Do outro lado temos o Real Madrid", finalizou.

Agora, na partida de volta, dia 17 de março na Inglaterra, os citizens podem até perder por 1 a 0 que mesmo assim avançam às quartas de final da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.