Divulgação/Coritiba
Divulgação/Coritiba

Destaque do Coritiba, Muralha prevê dificuldades para goleiros na volta aos jogos

Após o período de férias, goleiro realiza atividades por videoconferência

Redação, Estadao Conteudo

07 de maio de 2020 | 16h49

O futebol no Brasil está há quase dois meses paralisado por causa da pandemia do novo coronavírus. Em quarentena nesse período, o goleiro Alex Muralha, do Coritiba, continua sua rotina de treinos em casa. No primeiro mês, seguiu uma cartilha determinada pela preparação física e técnica do clube paranaense, e desde o último dia 1.º, após as férias chegarem ao fim, as atividades passaram a ser realizadas por videoconferência, com cada jogador em sua casa.

Para Alex Muralha, a adaptação que os goleiros terão quando a bola voltar a rolar será mais difícil em comparação aos atletas de linha. "Acredito que vai ser um pouco mais difícil essa retomada aos trabalhos de campo para os goleiros, pois nossas atividades são muito específicas com quedas, saída de gol, reposição de bola... A gente até procurou fazer algo parecido com isso em casa, mas obviamente que não é a mesma coisa. Por outro lado, tenho certeza de que a parte física não será um problema, pois nisso os treinos foram diários e em vários períodos", contou.

Antes da paralisação, Alex Muralha vivia boa fase com a camisa do Coritiba. Em março deste ano, completou um ano de clube com números importantes: em 45 jogos foram 27 vitórias, 12 empates e apenas sete derrotas, com 69% dos pontos conquistados quando esteve em campo. Também possui uma boa média de gols sofridos, 35 no total - inferior a um gol por jogo, com 0,77.

"Sinto falta de tudo. A nossa vida é o futebol, desde moleque, e acho que nunca ficamos tanto tempo nessa situação, sem a perspectiva de retornar. Sinto falta da boa e velha rotina dos treinos, jogos, do calor da torcida. É algo atípico. Queremos muito voltar, mas desde que com toda a segurança necessária", apontou o goleiro.

Enquanto curte a família, treina e exercita a mente na espera pela volta do futebol, Muralha tem certeza de uma coisa: o mundo já mudou. "O que dá para tirar de experiência nesses tempos é que devemos pensar um pouco mais nos outros. Deixar de lado as vaidades, parar de ser egoísta e sempre que puder ajudar o próximo".

Tudo o que sabemos sobre:
MuralhaCoritibafutebolcoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.