JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Destaque do Paulista, Red Bull mira o desafio de aumentar a torcida

Time de segunda melhor campanha do Estadual sonha com título e estuda opção de comprar clube

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 de março de 2019 | 04h30

O Red Bull está com metas ousadas para os próximos meses. O time de segunda melhor campanha no Campeonato Paulista quer chegar longe na competição, aumentar o número de torcedores e, inclusive, adquirir algum outro clube do interior para poder ter calendário e disputar a Série B do Brasileiro.

A equipe do técnico Antônio Carlos Zago só perdeu no Estadual uma vez e não sofreu derrota para os grandes. Após empatar com Palmeiras e São Paulo, além de ganhar do Corinthians fora de casa, o Red Bull está perto da classificação para a próxima fase, para enfrentar nas quartas de final o dono da melhor campanha, o Santos.

Dos 11 titulares no mais escalados no Estadual, oito tiveram passagens por times da Série A e dão estabilidade para a equipe realizar o bom campeonato. A vaga nas quartas de final pode ser garantida nesta sexta-feira se o time ganhar em Campinas do São Bento, time de pior campanha do Estadual.

"Nosso grande segredo é o trabalho com profissionais. Por ser um clube-empresa, todos nós somos cobrados e temos de ter qualificação para os cargos e controle sobre cada decisão tomada", disse o diretor executivo do Red Bull, Thiago Scuro.

Registrado como clube empresa, o Red Bull tem como uma das dificuldades ter mais impostos para pagar do que os demais times, que por serem registrados como clubes sociais desfrutam de benefícios fiscais. Para contornar essa situação, a diretoria tenta não gastar demais nas contratações e traçar o perfil do elenco antes de ir ao mercado. "É uma equipe que busca jogar, pressionar e trocar passes curtos. Buscamos jogadores com esse perfil", disse Scuro.

O time teve início em 2007, ano em que empresa austríaca de bebidas decidiu expandir os negócios para o Brasil. O jovem clube manda os jogos no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, onde ainda não conquistou torcedores. Exceto a partida em que recebeu o Palmeiras, nos jogos restantes dentro de casa não atraiu mais de 500 pagantes.

"Atrair torcedores é um trabalho fundamental. Pela cultura futebolística do nosso país, é um desafio. Vencer jogos é um caminho para conquistar torcedores. Um dos principais pontos fracos nossos é a torcida", afirmou o diretor executivo do clube.

Uma das alternativas para o problema de popularidade está no plano de comprar uma outra equipe. Um dos clubes cotados é Oeste. O Estado apurou que o Red Bull cogita a operação para poder colocar o elenco atual em campo pela Série B do Brasileiro e dar ao elenco um calendário mais extenso. 

Caso se classifique para as quartas do Paulista, o Red Bull teria também vaga na Série D do Brasileiro. No entanto, como a competição não é por pontos corridos nem tem transmissão na televisão, não é tão atrativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.