Nick Taylor/Liverpool
Nick Taylor/Liverpool

Destaque do Salzburg é contratado e será 1º japonês a atuar pelo Liverpool

Takumi Minamino será oficializado em 1º de janeiro, com a abertura da janela de transferências

Redação, Estadão Conteúdo

19 de dezembro de 2019 | 11h14

Takumi Minamino vai ser o primeiro jogador japonês a atuar pelo Liverpool. Nesta quinta-feira, o time líder do Campeonato Inglês anunciou a chegada do meia-atacante de 24 anos, em contratação que será oficializada em 1º de janeiro, com a abertura da janela de transferências das principais ligas do futebol europeu.

Minamino chamou a atenção do Liverpool ao enfrentar o clube em dois jogos da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa nesta temporada, pelo Red Bull Salzburg - ele marcou uma vez na partida disputada na Ásia.

O japonês chegou ao time austríaco em 2015, adquirido junto ao Cerezo Osaka. E as informações são de que a cláusula para rescisão do seu contrato estava estimada em 7,25 milhões de libras (aproximadamente R$ 38,4 milhões).

O novo reforço do Liverpool soma 11 gols marcados em 22 jogos pela seleção do Japão. E foi convocado para defender a equipe na Copa da Ásia deste ano, além de ter feito parte do grupo chamado para a Olimpíada do Rio, em 2016. "Era um sonho me tornar jogador do Liverpool", disse Minamino. "Estou muito animado que isso tenha se tornado realidade."

Embora ainda pequena, a presença de jogadores japoneses no futebol inglês tem aumentado nos últimos anos, com destaque para Shinji Okazaki campeão nacional pelo Leicester em 2016. Shinji Kagawa (Manchester United), Hideoshi Nakata (Bolton) e Junichi Inamoto (Arsenal e Fulham) são outros atletas nipônicos que atuaram na primeira divisão do país em temporadas recentes.

"Jogar no Campeonato Inglês era um dos meus objetivos. Eu pensava que se minha carreira como jogador progredisse sem problemas, um dia teria condições de jogar no Campeonato Inglês. Mas eu nunca pensei que teria condições de jogar neste time e estou muito feliz com isso", concluiu Minamino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.