Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Destaque em estreia, Coutinho minimiza vaias e admite nervosismo do time

Meia da seleção brasileira afirma que equipe sentiu o peso da partida de abertura, contra a Bolívia

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 de junho de 2019 | 00h02

O meia Philippe Coutinho, da seleção brasileira, disse nesta sexta-feira, após a vitória por 3 a 0 sobre a Bolívia, pela Copa América, que a equipe se sentiu nervosa na partida que marcou a abertura da Copa América. Depois de um primeiro tempo sem gols e com vaias, a reação veio na etapa final, quando o jogador do Barcelona marcou duas vezes e o atacante Everton completou o placar.

Segundo Coutinho, o peso de fazer o primeiro jogo e a abertura da competição atrapalharam a seleção brasileira. "Jogo de estreia é difícil. Nervos à flor da pele. Na hora que o time fez o gol, começou a jogar de forma correta e a vitória veio. No intervalo o professor Tite pediu para a gente ter mais concentração", afirmou o meia, que abriu o placar de pênalti e marcou outro de cabeça.

Antes de conseguir os três gols, a seleção brasileira recebeu vaias da torcida do Morumbi, principalmente na saída para o intervalo. Coutinho descarta que a manifestação tenha afetado a equipe dentro de campo. "Faz parte ter vaia. A torcida quer que a gente ganhe. Mas dentro de campo a gente se blinda disso, porque é importante se concentrar no nosso objetivo e fazer um bom jogo", comentou.

O próximo compromisso da seleção brasileira será na terça-feira, em Salvador, contra a Venezuela. Uma segunda vitória garante classificação antecipada da equipe da casa para as quartas de final, independentemente de outros resultados do grupo. O adversário na rodada final será o Peru, em um novo jogo a ser realizado em São Paulo, na Arena Corinthians, no dia 22.

Coutinho afirmou que depois de vencer na estreia, a seleção brasileira ganha forças para evoluir e fazer bons jogos na competição. "Era importante começar bem, ter vitória, dar um primeiro passo com pé direito. A gente sai feliz daqui e já pensando no próximo jogo. O importante agora nesse começo é se classificar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.