Daniele Mascolo / Reuters
Daniele Mascolo / Reuters

Detentores de direitos de TV do Campeonato Italiano congelam pagamento a clubes

Campeonato ainda não tem previsão para ser retomado após paralisação por conta do coronavírus

Reuters, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2020 | 22h19

As empresas detentoras dos direitos da primeira divisão do Campeonato Italiano  não pagaram a última parcela da temporada 2019/20, paralisada por causa da pandemia de coronavírus, afirmaram três fontes com conhecimento do assunto.

A Serie A, nome da elite italiana, foi suspensa em 9 de março. A liga e a Federação Italiana de Futebol (FIGC) querem que a temporada seja terminada com partidas sem espectadores.

O governo italiano ainda não decidiu se dará permissão para a liga continuar, embora tenha suspendido a proibição aos treinos individuais semana passada.

A SKY, principal operadora de TV paga da Itália, a plataforma digital DAZN e a agência global de esportes IMG não pagaram a última parcela da temporada 2019/20, um total de quase 220 milhões de euros (R$ 1,3 bilhão de reais), disseram as três fontes. Os clubes da Serie A esperavam receber o pagamento ao fim desta semana, disse uma das fontes.

A parcela faz parte de uma taxa anual de 1,3 bilhão de euros (R$ 8 bilhões) que os detentores dos direitos desembolsam aos cofres dos clubes da Serie A para exibir as partidas, sob um contrato de três anos que termina na próxima temporada.

Fontes haviam dito que os detentores de direitos tinham apresentado à Serie A propostas diferentes para adiar ou reduzir o valor dos pagamentos devidos aos clubes, diante da suspensão de jogos, mas as propostas foram rejeitadas pelos clubes. Uma reunião extraordinária de representantes de clubes deve discutir o assunto na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.