Devido à altitude, Santos se preocupa com a pontaria no jogo

A altitude de 2.527 metros não preocupa o grupo de jogadores do Santos, que no início da madrugada de quinta-feira (0h15, de Brasília), enfrentarão o Deportivo Pasto, da Colômbia, pela Copa Libertadores. O único problema com a altitude é que vai exigir maior atenção de Fábio Costa e poderá atrapalhar Cleber Santana e Pedro nos chutes de fora da área, uma das especialidades do time. Antecipando-se às possíveis desculpas, Vanderlei Luxemburgo disse que jogar nesta altitude não causa prejuízo físico, alertando que apenas muda a velocidade da bola. Zé Roberto e Luxemburgo foram recebidos como estrelas em Pasto e assediados por um grupo de torcedores no desembarque. O técnico não deu entrevista no aeroporto e nem após o treino de recuperação orientado por Antonio Mello no campo do Hospital Psiquiátrico San Rafael, na tarde de Segunda-feira. Ele deve escalar o time que vem atuando no Campeonato Paulista, com a volta de Pedro no lugar de Denis e de Rodrigo Souto no de Pedrinho. A sua orientação é para que a equipe se agrupe do meio para trás, é utilize a velocidade de Marcos Aurélio para contra-atacar. A dúvida de Luxemburgo está entre Rodrigo Tiuí e Fabiano para fazer dupla com Marcos Aurélio. Ao lado do inimigoO fato curioso da viagem do time santista para a Colômbia foi o encontro inusitado com o adversário deste meio de semana. A delegação santista e a do Deportivo Pasto se encontraram em Bogotá, capital colombiana, e viajaram juntas para a cidade de Pasto. O vôo conjunto durou cerca de 50 minutos, num clima calmo. A viagem, no total, durou cerca de 5h30 e só teve problemas em Bogotá devido à chuva, que atrasou a ida para o local do jogo. (Com Sanches Filho)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.