Dez curiosidades de edições anteriores da Copa Africana

Competição é realizada desde 1957 e já teve como protagonistas brasileiros e episódios marcantes na geopolítica do continente

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2015 | 20h00

A 30ª edição da Copa Africana das Nações será em Guiné Equatorial e coloca em campo as principais competições do continente. Para o torneio, porém, um dos ausentes é o Egito, maior campeão, com sete conquistas, além da Nigéria, vencedora em 2013, quando garantiu o seu terceiro título ao bater Burkina Faso.

A competição tem um vínculo próximo com a geopolítica africana, ao ganhar mais participantes ao longo dos anos assim que mais países passaram a declarar independência. Para a edição de 2015, por exemplo, a epidemia de Ebola fez o Marrocos abrir mão de receber o torneio, que foi transferido às pressas para Guiné Equatorial, que foi em sede em 2012.

 

Episódios interessantes da história da competição

Torneio começou com somente quatro equipes, até se consolidar no cenário internacional e valer vaga para a Copa das Confederações

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.