Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Dez dias após retorno, Felipe Melo recupera espaço com o elenco

Volante é bem recebido pelos colegas apesar de ter poucas chances de voltar a atuar com o técnico Cuca

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

15 de setembro de 2017 | 07h00

Os dez primeiros dias de Felipe Melo no retorno ao Palmeiras foram de treinos físicos, poucas conversas com o técnico Cuca e boa recepção dos demais colegas. Embora o volante não tenha grande expectativas de ser utilizado em breve, demonstrou no dia a dia estar mais alegre com a reintegração, firmada após o clube temer problemas jurídicos.

Felipe Melo tem treinado mais a parte física desde o retorno às atividades. O volante ainda não participou dos trabalhos com bola junto com o restante do elenco, assim como na última terça-feira, dia de jogo-treino dos reservas com o Oeste. A rotina do jogador ainda continua um pouco distante dos trabalhos principais feitos pelos colegas, apesar de o horário voltar a ter sido compartilhado.

O clube e o técnico Cuca aceitaram reintegrá-lo após um mês afastado para que o imbróglio não se transformasse em problema jurídico. Os advogados do jogador haviam acionado o Palmeiras com duas notificações extra-judiciais com a alegação de que o afastamento consistia assédio moral e desrespeito às leis trabalhistas. A mobilização levou a diretoria a costurar um acordo para a volta dele.

O trabalho contou com a ajuda de jogadores líderes do elenco. Alguns deles defenderam Felipe Melo. No retorno, o volante também foi bem recebido e retomou a convivência com os colegas depois de mais de um mês com atividades em contraturno. "O Felipe Melo sempre nos ajudou e voltou. Tenho certeza de que ele vai nos ajudar mais ainda. É um excelente jogador, um cara experiente. Só tem para somar. Chegou com outra cabeça, vai nos ajudar muito no decorrer do campeonato", elogiou o lateral-direito Mayke.

Após se desentender com Cuca, Felipe Melo teve poucas conversas com o treinador desde o retorno. A tendência é o volante não ser escalado para as partidas até segunda ordem. No último compromisso do Palmeiras, sábado, contra o Atlético-MG, o camisa 30 sequer foi relacionado e recebeu folga para viajar ao Rio de Janeiro. 

"Quando a pessoa sai do time e fica um mês de fora, fica chateado. Ninguém gosta de ficar sem jogar. Cabeça diferente é que ele está bem, fazendo físico para quando estiver pronto poder nos ajudar. Ele é um excelente jogador", comentou o lateral Mayke.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.