Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético
Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético

Di Santo admite vacilos do Atlético-MG e Dudamel lamenta falta de intensidade

Atacante diz que time não tem desculpas para o resultado negativo

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2020 | 00h40

A derrota por 3 a 0 para Unión, na Argentina, praticamente eliminou o Atlético-MG da Copa Sul-Americana, pois agora o clube alvinegro terá de ganhar por quatro gols de diferença para avançar no duelo de volta de forma direta. Ou descontar os 3 a 0 e definir a vaga nos pênaltis. O atacante Di Santo analisou a partida e afirmou que a equipe "vacilou" em sua estreia no torneio continental.

"Não há muito a dizer. O primeiro tempo foi nosso, mas vacilamos. No segundo tempo entramos mal, tomamos mais gols. Eles fizeram o que tinham que fazer: gols. Nós não fizemos. Temos que mostrar força no Brasil, na volta", disse Di Santo.

Já o técnico Rafael Dudamel lamentou a falta de intensidade do time para lidar com uma partida internacional, mas mostrou certa confiança em conquistar o resultado em Belo Horizonte. "Sabemos que temos muito trabalho pela frente. Não fizemos um jogo com intensidade que requer um jogo internacional, mas ainda não estamos eliminados. Temos que ter competitividade e buscar o resultado em casa", disse o treinador.

Dudamel ainda falou sobre o próximo compromisso do time na temporada, o duelo de domingo com a URT, em Patos de Minas, pelo Campeonato Mineiro. Ele mira a vitória para que seus jogadores recuperem a moral.

"Única maneira de se levantar de um duro golpe é ganhando no final de semana. Quero despertar o caráter dos meus jogadores. Temos que colocar a cara para bater. Precisamos dar uma resposta imediata", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Atlético Mineirofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.