Di Stéfano segue em estado grave

Segundo o boletim médico divulgado na manhã deste domingo pelo Hospital La Fe, em Valência (Espanha), o ex-jogador argentino Alfredo Di Stéfano segue em estado grave. Presidente de honra do Real Madrid, ele sofreu um infarto agudo do miocárdio no sábado e precisará fazer uma cirurgia de ponte de safena.O cateterismo realizado no sábado detectou ?lesões coronárias que exigem correção cirúrgica?. O problema é que Di Stéfano, no momento, não reúne condições para passar por uma operação. ?A bomba do seu coração não funciona com a força que deveria. O prognóstico é grave?, revelou a médica Begoña Balerdi.Apesar disso, segundo os médicos, Di Stéfano está ?consciente, colaborando com tudo, muito tranqüilo e bastante animado?. Mesmo assim, as visitas, inclusive dos familiares, estão proibidas por enquanto.?Ele tem um problema de circulação e algumas artérias que alimentam o coração estão seriamente comprometidas?, contou o médico Anastasio Montero. ?Precisamos fazer a cirurgia para superar esse problema, mas teremos que esperar que suas condições melhorem antes de fazermos a operação.? Diabético e fumante, Di Stéfano está com 79 anos. Ele estava em Valência para passar o Natal com a família, quando sofreu o infarto na manhã de sábado. Levado para o Hospital Sagunto, acabou sendo transferido para o La Fe, onde está agora.Di Stefano foi um dos maiores jogadores de todos os tempos. Brilhou principalmente no Real Madrid, onde é o maior artilheiro da história e ganhou o cargo de presidente de honra. Pelo clube espanhol, conquistou 5 títulos europeus seguidos (entre 56 e 60) e ainda foi 8 vezes campeão nacional. Parou de jogar aos 40 anos, em 1967, e virou treinador, também com sucesso.

Agencia Estado,

25 de dezembro de 2005 | 11h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.