Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Dia de tudo ou nada para o Barcelona na Copa dos Campeões

Derrotado pelo Milan por 2 a 0 na partida de ida, o time catalão tem nesta terça uma difícil missão no Camp Nou

O Estado de S. Paulo,

12 de março de 2013 | 08h05

BARCELONA - O time dos muitos títulos e do futebol encantador tem uma conta pendente com sua torcida, e espera saldá-la nesta terça-feira. Desde que começou este ciclo glorioso, em 2008, o Barcelona fracassou duas vezes ao perder um jogo de ida na fase de “mata-matas” da Copa dos Campeões. Esta noite, no Camp Nou, tentará evitar o terceiro fracasso. A equipe perdeu na Itália para o Milan por 2 a 0, e precisará vencer por três gols de diferença (ou por 2 a 0 para forçar a prorrogação) para chegar às quartas de final. Acompanhe o tempo real da partida a partir das 16h30.

Na primeira temporada sob o comando de Guardiola, a 2008/2009, o Barça ganhou a competição. Na seguinte, caiu na semifinal diante da Inter de Milão (perdeu fora de casa por 3 a 1 e venceu no Camp Nou por 1 a 0). Em 2010/2011, mais um título para Guardiola e companhia. Na temporada passada, a última no clube do treinador que criou esse timaço, foi derrotado pelo Chelsea em Londres por 1 a 0 e na volta cedeu o empate por 2 a 2 depois de estar ganhando por 2 a 0 e ter um jogador a mais.

“Temos time, elenco e talento para reverter a situação. O estádio estará cheio, a bola vai correr no nosso gramado e tenho a sensação de que vamos conseguir a classificação”, disse o zagueiro Piqué. “Tivemos resultados ruins nas últimas semanas, mas amanhã (nesta terça) o time vai dar uma resposta positiva.”

Como se não bastasse a dificuldade de precisar virar um resultado contra uma equipe que já deu mostras de saber se defender muito bem, o Barça entrará em campo carregando uma pressão extra: o rival Real Madrid já está nas quartas de final graças à vitória de virada que conseguiu sobre o Manchester United fora de casa na semana passada. Se o Barça cair nesta terça, será um duro golpe para seus jogadores, dirigentes e torcedores. E o fracasso será muito saboreado pelo Real, que sonha em ganhar o décimo título da competição.

Com a recuperação do meia Xavi, que voltará ao time depois de duas semanas afastado por causa de uma lesão muscular, o técnico Jordi Roura tem apenas uma dúvida: quem jogará no ataque ao lado de Pedro e Messi? O mais cotado parece ser o chileno Alexis Sánchez, mas David Villa e Tello também têm chance.

O PASSADO ENSINA

No Milan, o técnico Massimiliano Allegri garante que seu time não vai ficar só se defendendo. Ele sabe que fazer um gol pode valer a classificação, porque nesse caso o Barça precisaria marcar quatro gols para não ser eliminado. “Teremos de jogar ainda melhor do que fizemos na primeira partida porque o Barcelona costuma fazer muitos em seu campo.”

A história mostra que em 2004 o Milan levou um grande tombo na Espanha. Depois de ter ganho do La Coruña por 4 a 1 em casa no jogo de ida, perdeu por 4 a 0 na volta e foi eliminado. E o time tinha Dida, Cafu, Nesta, Maldini, Pirlo, Kaká, Seedorf, Shevchenko... Por isso, toda cuidado é pouco. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.