Dia inesquecível para Klose, o "salvador" da Alemanha

O atacante Miroslav Klose jamais vai esquecer o dia em que completou 28 anos. Foi nesta sexta-feira, e ele comemorou fazendo dois gols na vitória da Alemanha por 4 a 2 sobre a Costa Rica. Gols importantes, pois o primeiro foi marcado logo depois de os rivais terem empatado a partida e o segundo praticamente definiu o triunfo. Klose definiu como ?algo magnífico" o fato de ter se saído tão bem na estréia alemã na Copa. ?É muita emoção. Fiz dois gols e vencemos o jogo de abertura no dia do meu aniversário. Não posso querer mais."Pode: ele ainda foi eleito pelos observadores da Fifa o melhor em campo no jogo desta sexta e considerado pelo ex-jogador Gerd Muller, artilheiro da Copa de 70, o ?salvador" da seleção alemã. A exemplo de todos os jogadores da seleção anfitriã e do técnico Jürgen Klinsmann, Klose agradeceu o apoio da torcida. ?É importante conquistar o torcedor, mas é preciso se esforçar para conseguir. Creio que o fizemos", declarou o atacante, polonês de nascimento. Os dois gols feitos nesta sexta devem apenas marcar o começo da luta do atacante pela artilharia do Mundial, Klose admitiu ter esta meta. ?Eu coloquei um objetivo muito alto para mim nesta Copa e vou tentar alcançá-lo", falou. Em seguida, tratou de explicar que não vai pensar apenas no que é melhor para ele. ?O importante, porém, é a equipe."O artilheiro, substituído por ter sentido uma dor muscular na perna esquerda - ?saí para não complicar" - considerou a vitória importante para dar confiança à seleção. ?Mas sabemos que temos de crescer."O técnico Klinsmann também sabe disso. Deve ter consciência de que os problemas da Alemanha são muitos, principalmente no sistema defensivo. Mas não quis culpar seus jogadores. ?Foram erros normais", disse, sobre a falha de marcação e posicionamento nos dois gols da Costa Rica. ?Sempre que sai um gol é porque aconteceu uma falha. Vamos melhorar."Ele admitiu que seus volantes estão dando muito espaço e que o posicionamento dos zagueiros, em linha, não é eficiente. Nervoso durante todo o jogo e reclamando de qualquer marcação do juiz argentino Horacio Elizondo, Klinsmann tinha semblante aliviado durante a entrevista coletiva. ?Sabia que era importante começar com uma vitória. E começamos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.