Diante da Costa Rica, Frank Lampard faz amarga despedida

Meia de 36 anos faz, provavelmente, o último jogo pela Inglaterra. E a partida não vale mais nada para a competição

Sérgio Torres e Vítor Marques – Enviados especiais a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2014 | 05h00

A participação no jogo do meia Frank Lampard pode ser considerada uma homenagem do treinador Roy Hodgson a um jogador que, aos 36 anos, certamente disputa sua última Copa do Mundo. Lampard, do Chelsea, ficou na reserva nos dois primeiros jogos. Hoje joga, revelou ontem o técnico inglês.

Lampard disputa no Brasil sua terceira Copa. Tem 103 partidas pela seleção inglesa, com 29 gols. Outro que deve se despedir da seleção é Steven Gerrard, meia do Liverpool, de 34 anos. Também na terceira Copa, Gerrard está fora da partida. Machucou-se no treino anteontem.

Embora a imprensa britânica dê como certa a aposentadoria de Lampard, pelo menos na seleção, o jogador, na entrevista de ontem no Mineirão, negou-se a revelar o que pensa fazer a partir do fim desta Copa.

"Eu não decidi ainda. Estou feliz por jogar amanhã (hoje). É importante para mim. Queremos ter um bom resultado", disse o meia, para quem a partida contra a Costa Rica "é um excelente teste de caráter" para os integrantes da seleção.

"Não vamos mentir. Viemos aqui para tentar resultados melhores", lamentou.

Outro símbolo da seleção inglesa, o meia Steven Gerrard, do Liverpool, também já ensaia um adeus do English Team. Ele, contudo, não disse que essa decisão será tomada logo depois do Mundial. “Preciso de mais tempo para pensar.”

O fato de a Inglaterra disputar um jogo que não vale mais nada para ela foi definido pelo treinador como "triste", "desesperador" e "doloroso".

"É difícil jogar uma partida que não lhe ajudará a prosseguir", disse. Para Hodgson, o fato de a Premier League ser a mais cara do mundo acaba prejudicando a formação de novos jogadores pelo futebol inglês.

"Alguns dos jogadores da seleção são reservas de estrangeiros", comentou o treinador da Inglaterra, que evita falar em renovação já, embora considere que seja necessário, a partir de agora, planejar a formação de novos talentos.

Para Gerrard, há talentos no futebol inglês e é preciso enxergar as coisas positivas mesmo nos momentos mais difíceis como este. “Temos jogadores de nível mundial e com grande potencial mas esses torneios (Copa do Mundo e Eurocopa) só acontecem a cada dois anos. Precisamos esperar e ver o que acontece.

A próxima competição importante para Inglaterra é a Euro 2016, que será disputada na França. Mesmo após a péssima campanha na Copa, a federação inglesa decidiu manter Hodgson à frente da equipe. A renovação do time, ainda que o técnico não afirme, começa hoje num jogo sem importância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.