Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Diante do Olimpia, Atlético-MG começa briga por título da Libertadores

Em Assunção, o time mineiro vai enfrentar a boa equipe paraguaia e a pressão dos torcedores

O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2013 | 07h35

ASSUNÇÃO - O Atlético-MG começará a disputar a decisão mais importante de sua história em um ambiente hostil. No Defensores del Chaco, às 21h50, o time mineiro precisará ter sangue frio para encarar a pressão feita pela torcida do Olimpia e, assim, sair "vivo" da primeira partida decisiva da Libertadores da América.

No quesito tradição, o Atlético perde de longe para o clube paraguaio. Enquanto o Olimpia conquistou a Libertadores três vezes (1979, 1990 e 2002) e foi vice-campeão também três vezes (1960, 1989 e 1991), a equipe de Belo Horizonte está em sua primeira decisão. Por isso, o Atlético terá de mostrar no campo a sua indiscutível superioridade técnica, personificada pelo craque Ronaldinho Gaúcho, que também está em busca de seu primeiro título do torneio.

Na decisão da Libertadores, os gols fora de casa não são usados como critério de desempate. Ainda assim, o Atlético vai atacar nesta quarta-feira, de acordo com Diego Tardelli. "Vamos tentar não tomar gol e, se tiver como fazer, marcar", disse o atacante. "Na final, pode se esperar qualquer coisa. Quem estiver mais preparado fisicamente e psicologicamente, com a cabeça tranquila, é que vai vencer."

Por falar em preparo psicológico, o Atlético vai ter de lidar com a frustração de não poder disputar a segunda partida decisiva no Estádio Independência, sua casa desde o ano passado. A Conmebol não se comoveu com os apelos do clube e da CBF e confirmou nesta terça que o jogo será no Mineirão.

Resignado, o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, diz que a mudança de lar não vai prejudicar sua equipe. "Vamos fazer uma linda festa (no Mineirão)."

Outro problema do Atlético é a ausência de Bernard do jogo desta quarta por suspensão. Em condições normais, Cuca escalaria Luan no lugar do jovem atacante, mas é possível que ele escolha Rosinei para deixar o meio de campo mais fechado. Leandro Donizete pode ficar fora por problemas físicos - se isso acontecer, Josué vai jogar.

O Olimpia espera usar a força de sua torcida como impulso para vencer nesta quarta e levar uma boa vantagem para Belo Horizonte. Por isso, o time deverá ser ofensivo, especialmente porque terá a volta de seu principal jogador, o atacante Salgueiro, que estava suspenso. "O Atlético tem a obrigação de ganhar por ser um time brasileiro e por suas estrelas, mas ninguém vai nos tirar nosso sonho", disse o atacante Bareiro.

OLIMPIA X ATLÉTICO-MG

OLIMPIA - Martín Silva; Manzur, Miranda, Candia e Alejandro Silva; Pittoni, Aranda, Giménez e Benítez; Salgueiro e Bareiro. Técnico: Éver Almeida

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, L. Donizete (Josué), Ronaldinho e Diego Tardelli; Jô e Luan (Rosinei). Técnico: Cuca

Árbitro - Néstor Fabián Pittana (Argentina); Horário - 21h50; TV - Fox Sports e Sportv; Local - Defensores del Chaco, em Assunção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.