Emilio Morenatti/AP
Emilio Morenatti/AP

Diário da final da Liga dos Campeões - Dia 2

Liga dos Campeões tem mercado paralelo e ingressos a mais de R$ 25 mil nas ruas de Madri

Bruna Toni, enviada especial a Madri*, O Estado de S. Paulo

31 de maio de 2019 | 18h03

Se você tiver um ingresso para a final da Liga dos Campeões deste sábado entre Liverpool e Tottenham e estiver disposto a abrir mão dele, saiba que isso pode significar se dar melhor do que se ganhasse na loteria. Espalhados por alguns pontos de Madri, compradores de ingressos estão oferecendo de 3.500 euros (R$ 15.480) a 6.000 euros (R$ 26.535) por eles. O valor da bolada depende, claro, da categoria do bilhete. Interessados não faltam. Eles estão pela cidade toda carregando cartazes escritos a mão, com mensagens diretas: "I buy tickets" (eu compro tíquetes).

E há também opções mais organizadas, com um flayer explicando, em inglês, que os preços estão sujeitos a mudanças, dependendo da demanda; que é possível pagar em dinheiro ou PayPal; e que eles, os compradores, vão até sua hospedagem para negociar. Ah, e não adianta querer enrolar: "os ingressos devem estar na mão", diz um flayer jogado os montes pelas ruas centrais. Por fim, há o contato dos vendedores e da central de atendimento.

Difícil é encontrar algum torcedor ou fã que tope vender o cobiçado ingresso, mesmo ganhando em troca um bom dinheiro. Basta dizer que, nesta sexta, véspera da partida no Estádio Monumental, o número de camisas de times se multiplicaram nas ruas de Madrid. Liverpool continua na frente, com o maior número de torcedores, mas na comparação com quinta-feira, o número de torcedores do Tottenham já aumentou. Ainda assim, há muito mais brasileiros nas ruas do que os fãs do time de Londres. 

A reportagem encontrou torcedores do Palmeiras e do Fluminense dando as caras no tour pelo estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid; torcedor do Internacional tomando uma cervejinha; e ao menos uns quatro torcedores vestindo a camisa do Bahia pelo caminho - que inclusive foram saudados por um grupo de são-paulinos. Isso sem falar do Náutico, Flamengo, Corinthians, Sport, Chapecoense...

A Plaza Mayor, a principal praça de Madri, já está bem mais colorida e com cara de festa de torcida, aliás. E isso significa muita cerveja e bagunça, canções recorrentes e lojas e mais lojas vendendo cachecóis, camisas de times e souvenirs de futebol - cachecol metade Liverpool, metade Tottenham, com a data da partida, custa de 15 euros (R$ 67) a 20 euros (R$ 89). Certamente até amanhã o coração do centro madrilenho estará completamente tomado pelo futebol. Resta saber se a festa final será vermelha e branca ou azul e branca.

*A repórter está viajando a convite do Expedia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.