Diego admite: faltou seriedade

No desembarque da Seleção Sub-23 no Aeroporto de Cumbica, na noite desta segunda-feira, Diego evitou assumir a culpa pelo fracasso do TorneioPré-Olímpico do Chile. Em nenhum momento o meia se disse responsávelpelo Brasil ficar de fora dos Jogos Olímpicos de Atenas. Porém, deixouno ar a impressão de que não é mais certeza nas futuras convocações,tanto para a Seleção Principal quanto para a Sub-23."Se depender de mim, passarei por outros jogos de pressão pela SeleçãoBrasileira. Vou continuar me dedicando para permanecer no grupo", disseo meia, cercado por dois seguranças do Santos.Ao lado do amigo Robinho, Diego foi o primeiro a dar as caras nosaguão principal. Logo percebeu que não seria fácil escapar daimprensa. Mesmo escoltado, parou para se explicar. Robinho escapou porum corredor formado por três seguranças grandalhões enviados peloSantos."Talvez tenha tido um excesso de brincadeiras mesmo. Agora, é a horade colocar a cabeça no lugar e escutar o que todos tem a dizer",redimiu-se Diego, sobre as brincadeiras que irritaram a cúpula da CBF."Da próxima vez, temos que encarar com mais seriedade. Pode ter certezade que voltei muito mais maduro e experiente."Apesar dos 18 anos, Diego sabe que era um dos mais ´rodados´ do clube.No entanto, evitou comparar a desclassificação para Atenas com adesilusão da perda da Libertadores da América, para o Boca Juniors, empleno Morumbi. "É completamente diferente quando se veste a camisa daSeleção. A responsabilidade aumenta. Infelizmente, não alcançamos onosso objetivo. A oportunidade foi dada a cada um de nós e não fomoscapazes", assumiu. "O Ricardo Gomes é um grande treinador mas que aindanão ganhou o reconhecimento devido."A mesma agilidade que Robinho demonstra em campo foi usada paraescapar da imprensa. O atacante não parou. Só diminuia as passadasrápidas para atender os pedidos de autógrafos de alguns curiosos queapareceram para recepcionar a Seleção. Falava rápido enquanto seguia aorientação do segurança: "Mais rápido! Mais rápido!""Perder faz parte do futebol. O Ronaldinho também perdeu uma Olimpíadacom o Brasil e depois foi campeão do mundo", lembrou.Menos assediado pela imprensa, o volante Paulo Almeida, que passou detitular absoluto para uma das opções no banco de reservas de RicardoGomes em apenas um jogo, parecia mais preocupado em já servir o Santosno Campeonato Paulista. "Se o Leão quiser, eu estou à disposição paraquarta-feira - contra o Mogi Mirim, em Santos", garantiu o jogador, quedeixou claro que em nenhum momento faltou vontade do grupo.

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2004 | 09h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.