Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Diego Cavalieri terá noite de sonhos com a camisa da seleção na Bombonera

Titular no Superclássico, goleiro do Fluminense finalmente vai defender o Brasil pela primeira vez

Mateus Silva Alves, O Estado de S. Paulo

21 de novembro de 2012 | 08h26

SÃO PAULO - Embora a partida desta quarta à noite não tenha o peso histórico que o nome Superclássico das Américas sugere, Mano Menezes o está tratando como uma final de campeonato. Tanto que adotou a estratégia de divulgar a escalação apenas no dia da partida, mania que os treinadores nunca abandonam. Mas um jogador o gaúcho já confirmou: Diego Cavalieri será o goleiro da seleção.

A dez dias de completar 30 anos, o jogador do Fluminense vestirá pela primeira vez a camisa da seleção brasileira. Pouco importa para ele que o Brasil e a Argentina não estejam com suas formações mais nobres, o que Diego quer mesmo é aproveitar uma oportunidade com a qual sonhou a carreira inteira.

Considerado de maneira quase unânime o melhor goleiro do Campeonato Brasileiro, Diego superou em 2012 uma fase ruim que durou muito mais do que ele gostaria. Seus problemas começaram em 2008, quando trocou o Palmeiras pelo Liverpool. No clube inglês ele teve raríssimas chances de jogar - e quando jogou, não se saiu bem - e, por isso, tentou a sorte no Cesena, da Itália. Foi ainda pior.

Contratado pelo Fluminense no ano passado, Diego teve dificuldades para se readaptar ao futebol brasileiro e só neste Brasileiro conseguiu convencer a torcida tricolor de que é, sim, um goleiro de primeira linha.

Por ter sofrido tanto nos últimos anos, o paulistano dá muito valor à chance que recebeu de Mano Menezes, que decidiu deixar no banco Jefferson, do Botafogo (que, ironicamente, seria o capitão da seleção no jogo cancelado de Resistência), justamente para observar Diego.

"Foi uma surpresa para mim ser titular na Argentina, imaginei que o Jefferson fosse jogar", confessou o goleiro. "Será o jogo mais importante da minha vida. Agora que surgiu essa oportunidade, cabe a mim aproveitá-la."

Em se tratando da partida mais importante de sua carreira, é natural que Diego esteja nervoso hoje à noite, ainda mais por ser contra a Argentina - e no território inimigo. E isso é tudo o que ele mais quer evitar. Embora sua experiência em seleção seja nenhuma, o goleiro está convencido de que conhece a receita para não decepcionar Mano.

"Eu tenho de encarar esse jogo como um jogo normal", falou Diego. "Eu não tenho de fazer nada diferente do normal, não tenho de inventar. É só jogar da mesma maneira que estou acostumado a jogar no meu clube."

BASE TRICOLOR

Embora o técnico não tenha anunciado o time que pisará no gramado da Bombonera hoje, o único treino para a partida, feito ontem, no CT do Corinthians, mostrou que Mano deverá escalar os cinco jogadores do Fluminense que foram convocados: o lateral-esquerdo Carlinhos, o volante Jean, o meia Thiago Neves e o atacante Fred, além de Diego.

A intenção do técnico, obviamente, é aproveitar o entrosamento dos jogadores campeões brasileiros. Mano provavelmente usará a mesma receita com a dupla de zaga, formada por Leonardo Silva e Réver, do Atlético-MG, e com os volantes Ralf e Paulinho, do Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.