Diego comenta freqüentes substituições

Diego chegou ao treino com 50 minutos de atraso no CT Rei Pelé e evitou a entrada principal, passando pelos fundos do vestiário. Mas seu atraso já tinha sido avisado ao técnico Leão, que evitou comentários a respeito. Perguntado se havia sido traído pelo despertador, o meia comentou, bem humorado: "pelo carro". E que carro: uma BMW 330 - preto comprado no mês passado.Diego acha que o atraso seria relevado, uma vez que se tratava apenas da apresentação e não de um treinamento. Fez tratamento com gelo na perna e disse que a pancada que sofreu no jogo contra o equatoriano Barcelona não irá afastá-lo da partida de domingo contra o Ituano. Ele procurou também não atribuir grande importância ao fato de vir sendo substituído em quase todas as partidas. Nas últimas dez, ele deixou o gramado seis vezes antes de o jogo terminar.Diego acredita que seu momento não é de alta, nem de baixa. "Estou no meio, tenho jogado não tão bem como de costume, mas não tenho ficado abaixo da média. Aos poucos as coisas vão acontecendo naturalmente e, por isso, não estou tão preocupado com isso". O meia ressalta que tem saído de campo aplaudido pela torcida. "É sinal que o torcedor tem reconhecido meu esforço".O técnico Leão tem comentado que prefere Diego atuando como meia avançado. Com isso, Renato às vezes cumpre sua função. "De fato, ele é um volante um pouco mais solto e às vezes vai estar na minha frente. Quando isso acontece, eu faço sua cobertura e isso é uma ajuda que favorece a equipe".Nega que venha prendendo muito a bola, como muitos o criticam. "Não é um problema, tenho procurado soltar mais e aos poucos vamos acertando os detalhes". Leão acompanha a fase vivida por Diego. "O nosso atleta está enfrentando uma dificuldade esperada e que o acompanha há algum tempo".Para o treinador, são dois os problemas: "quando ele recebe a falta e cai, não dão porque acham que ele está simulando; quando pega a bola quer criar de uma maneira a demonstrar sua capacidade que todos nós sabemos".Sobre as constantes substituições de Diego durante a partida, Leão explicou que "o motivo principal de uma alteração é mudar a maneira tática de jogar". Quanto ao momento do atleta, o treinador comentou que "existe um respeito muito grande e ele tem sempre alguém mais próximo e esse problema ele vai continuar enfrentando". Como sair dessa situação? Segundo o treinador, "a inteligência do atleta vai fazer com que supere isso a cada dia, Acho que ele deve jogar um pouco mais próximo da área e peço muito isso a ele, mas como Diego gosta de jogar, ele quer correr na periferia da área". Mas destacou que o jogador "ainda tem crédito para queimar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.