Pierre-Philippe Marcou/AFP
Pierre-Philippe Marcou/AFP

Diego Costa marca, Atlético de Madrid vence Arsenal e vai à final da Liga Europa

Com o gol marcado, atacante encerra jejum de sete jogos sem marcar

Estadão Conteúdo

03 Maio 2018 | 18h06

O Atlético de Madrid derrotou o Arsenal por 1 a 0 nesta quinta-feira, no estádio Metropolitano, em casa, e garantiu vaga na decisão da Liga Europa para enfrentar o Olympique de Marselha, que eliminou o RB Salzburgo. Diego Costa marcou o gol da vitória e de quebra encerrou o jejum de sete jogos sem marcar.

+ TEMPO REAL: Confira como foi o jogo em Madri

O segredo para a classificação veio com a força defensiva da equipe do técnico Simeone, que chegou a 12 jogos sem sofrer gols em seu estádio. Como havia empatado fora de casa o jogo de ida por 1 a 1, bastava segurar as investidas do Arsenal que a classificação estaria garantida.

Mas no final do primeiro tempo, após um chutão de Oblak, Griezmann pegou a zaga adversária desprevenida, deixou o brasileiro naturalizado espanhol na boa e ele só teve o trabalho de tocar na saída do goleiro. A decisão da Liga Europa está marcada para 16 de maio, na cidade de Lyon. Vale lembrar que a final dos torneio europeus de clubes acontecem em jogo único e local previamente sorteado pela Uefa.

O Arsenal não teve nada o que comemorar. O técnico Arsène Wenger caminha para o seu adeus ao clube após 22 anos sem alcançar nenhum grande feito nesta última temporada. A Liga Europa era a última oportunidade de garantir vaga na Liga dos Campeões.

Para piorar, o Arsenal vai ter que dar uma má notícia para a seleção francesa. Com cinco minutos de partida, o zagueiro Laurent Koscielny rompeu, sozinho, fora do lance de bola, o tendão de Aquiles e não se recuperará a tempo para a Copa do Mundo, que começa daqui 42 dias. Ele precisou ser retirado de maca e deixou o campo chorando.

Chambers, que entrou no lugar do jogador francês, em um dos primeiros lances em campo acertou uma cotovelada na cabeça de Griezmann, que precisou deixar o gramado para estancar um pequeno corte próximo a orelha direita.

No Atlético de Madrid, a principal novidade estava no banco de reservas. O lateral-esquerdo brasileiro Filipe Luís voltou a ser relacionado por Simeone após ficar afastado por quase 50 dias por conta de uma fratura na fíbula da perna esquerda. Apesar de recuperado, o treinador optou por mantê-lo os 90 minutos no banco.

Em campo, as equipes fizeram um primeiro tempo truncado. O Arsenal conseguia impor o ritmo e ficava rondando a área adversária. O Atlético de Madrid recuou sua marcação e anulava qualquer tentativa adversária.

A etapa inicial só foi esquentar um pouco nos minutos finais, quando o time da casa também resolveu se arriscar. Após confusão na área, a bola sobrou para Koke, que bateu de primeira à direita de Ospina. Na sequência, Griezmann recebeu na direita dentro da área, girou e bateu cruzado. A bola saiu com muito perigo.

Melhor na partida, o Atlético chegou ao gol nos acréscimos. Após um chutão do goleiro Oblak, a bola sobrou para Griezmann, que acionou o atacante Diego Costa na esquerda. O brasileiro naturalizado espanhol invadiu a área e tocou na saída do goleiro: 1 a 0.

O Arsenal voltou pressionando da etapa final e teve a primeira boa chance para empatar com Ramsey. Mas ele teve dificuldade para dominar a bola na área. O Atlético seguia fechado e tentava matar o jogo em um contra-ataque. Diego Costa teve nova chance, mas chutou fraco.

O time inglês encontrava dificuldade de furar a retranca do adversário. Mkhitaryan, aos 26, aproveitou rebote e chutou com perigo. O Atlético tentava surpreender no contra-ataque, mas parecia faltar força para os atacantes. Nos minutos finais, Fernando Torres entrou no lugar de Diego Costa e teve uma chance. Chutou da entrada da área para boa defesa de Ospina.

O Atlético de Madrid volta a campo no domingo, quando receberá o Espanyol pela antepenúltima rodada do Campeonato Espanhol. No mesmo dia, o Arsenal enfrenta o Burnley, em casa, pela penúltima rodada do Campeonato Inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.