Chema Moya/Efe
Chema Moya/Efe

Diego Costa tenta por fim ao jejum com a seleção da Espanha

Atacante do Chelsea ainda não marcou pela equipe e tenta quebrar a escrita diante da Eslováquia, pelas Eliminatórias da Eurocopa

O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 07h00

A Espanha vai lutar nesta quinta-feira, às 15h45 (de Brasília), por sua segunda vitória em duas rodadas das Eliminatórias para a Eurocopa de 2016. Do outro lado do campo estará a equipe da Eslováquia, que jogará em casa. E um jogador do time espanhol tem mais motivos do que os demais para desejar uma grande atuação em Zilina: Diego Costa.

O atacante teve um desempenho espetacular pelo Atlético de Madrid na temporada passada e no Chelsea, seu novo clube, está mantendo o alto nível, tanto que é o artilheiro do Campeonato Inglês. Na seleção espanhola, no entanto, Diego tem negado fogo. Em cinco partidas com a camisa da Espanha, ele ainda não marcou gols. Pior: nesses cinco jogos, deu apenas dois chutes a gol, uma situação estranha e embaraçosa para um atacante tão badalado.

"É verdade que ainda não marquei pela seleção, mas, vendo as partidas, fica claro que não tive nenhuma chance de gol", comentou o sergipano de Lagarto. "Tenho de trabalhar para marcar quando a oportunidade aparecer, pois tenho muita vontade. Quando tiver a chance, estarei pronto."


Vicente del Bosque, o treinador que convenceu Diego Costa a jogar pela Espanha quando ele ainda podia defender a seleção brasileira, antes da Copa do Mundo, não perde a fé no goleador. Ele acredita que Diego precisa ser mais ajudado pelos meias, tanto que orientou seu time a jogar mais próximo do gol adversário. "Contra a Macedônia, mudamos um pouco a nossa ideia de jogo, com mais presença ofensiva, e é assim que devemos jogar", disse Del Bosque, referindo-se à estreia da Espanha nas Eliminatórias, com goleada por 5 a 1 sobre os macedônios - Diego não jogou aquela partida por causa de uma lesão.

Del Bosque aposta muito nos meias que escalou para jogar um pouco atrás de Diego Costa: Iniesta, Fàbregas e David Silva, jogadores de enorme qualidade técnica. Eles foram orientados a buscar constantemente a aproximação ao goleador, especialmente Fàbregas, que tem feito ótima parceria com Diego no Chelsea - no clássico contra o Arsenal, no domingo, o sergipano marcou um golaço depois de receber um lindo lançamento do meia.

A defesa espanhola, que fez água na Copa do Mundo, terá de prestar muita atenção ao meia eslovaco Hamsik, do Napoli, um jogador muito rápido e criativo.

LONDRES

A Inglaterra, que estreou com uma brilhante vitória sobre a Suíça, fora de casa, terá nesta quinta-feira um compromisso bem mais tranquilo. Em Londres, o time inglês receberá San Marino, conhecido saco de pancadas do futebol europeu. A Inglaterra não terá o atacante Sturridge, que se recuperou recentemente de lesão muscular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.