Diego festeja o fim da má fase

O meia Diego, do Santos, parece ter desencantado de vez: além de recuperar seu bom futebol, voltou a marcar gols. "Nem sempre é possível, mas quando os gols começam a sair é muito bom porque alcanço mais o objetivo que é sempre ajudar a equipe." Na comemoração de um dos dois gols marcados contra o Botafogo, o jogador se dirigiu a alguns torcedores. "No estádio vazio você acaba escutando tudo e, enquanto todos os torcedores estavam ajudando bastante, dois deles estavam me incomodando muito o jogo todo. Por coincidência, assim que eles falaram eu fiz o gol e fui comemorar ali. Foi uma resposta, nada demais." Diego acha que não tem motivo para mudar em função dos dois gols marcados na Vila Belmiro e que deram a vitória ao Santos. "Sempre fui o mesmo Diego de sempre. As duas bolas bateram na trave e entraram, mas nem sempre é assim que acontece e quem joga futebol tem consciência disso." Ele vem jogando mais à frente, como determinou o técnico Emerson Leão. "Ele (Leão) tem me cobrado isso, de ficar mais próximo da área para aproveitar os rebotes, é o que tenho procurado fazer e, felizmente, deu resultado." O camisa 10 santista revela que sempre procurou jogar dessa forma e, na partida contra o Botafogo, que estava com um jogador a menos, "fiquei um pouco mais avançado, mas minha posição continua sendo a mesma". O jogador vinha sendo substituído por Leão no segundo tempo de todas as partidas, mas isso mudou nos últimos jogos. Diego entende que ficar o tempo todo em campo dá mais tranqüilidade ao atleta, mas fez uma ressalva. "Estou preparado para superar esse tipo de dificuldade, sempre fui um jogador que participou dos 90 minutos da partida, me preparo para isso e graças à confiança do técnico Leão, da torcida, estou tendo a oportunidade de jogar a partida toda e isso facilita meu trabalho." Jogo - Comemorações à parte, Diego estava mais interessado é no jogo desta quarta-feira contra o Figueirense, líder do campeonato. "Nós sabemos que todos os jogos desse campeonato serão difíceis e mais uma vez vamos viajar com esse pensamento, mas preparados para enfrentar todo tipo de dificuldade e conquistar a vitória que pode nos dar mais tranqüilidade." Robinho estava satisfeito com a primeira vitória do Santos no Brasileiro, depois da derrota por 3 a 2 contra o Paraná. "Infelizmente, perdemos esse primeiro jogo e como o campeonato é longo, temos que continuar vencendo desde já para não ter de correr atrás no final." O atacante chegou a pedir aplausos dos torcedores para o amigo Diego. "Quando a gente não está jogando bem, a torcida pega no pé; quando está bem. Marcando gols, tem de aplaudir." Mas seu futebol foi estreitamente vigiado por empresários europeus que estiveram na Vila Belmiro para ver de perto suas pedaladas. Robinho atribuiu esse interesse ao seu trabalho dentro de campo, mas fez rapidamente uma ressalva. "Meu pensamento é ficar aqui no Santos, independente de ter vários empresários me olhando, e procurei ajudar meu time da melhor forma possível." Ele acha que ainda não chegou o momento de sair da Vila Belmiro. "Espero ficar aqui conquistando títulos pelo Santos."

Agencia Estado,

26 de abril de 2004 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.