Raúl Martínez/EFE
Raúl Martínez/EFE

Diego Forlán é demitido do comando técnico do Peñarol após 11 jogos

Gota d'água para a saída do treinador foi a derrota de domingo, diante do líder Montevideo Wanderers

Redação, Estadao Conteudo

31 de agosto de 2020 | 17h25

Durou apenas 11 jogos o período do primeiro trabalho como técnico de Diego Forlán. A diretoria do Peñarol anunciou, nesta segunda-feira, a demissão após nove jogos disputados no Torneio Apertura do Uruguai e dois pela Copa Libertadores. Foram quatro vitórias, três empates e quatro derrotas.

A gota d'água para a saída de Forlán foi a derrota de domingo, diante do líder Montevideo Wanderers, por 2 a 0, que deixou o tradicional time uruguaio na sétima colocação, com 12 pontos ganhos, sete atrás do primeiro colocado.

Na Libertadores, o Peñarol jogou duas vezes sob o comando de Forlán. Perdeu para o Athletico-PR (1 a 0) e venceu pelo mesmo placar o time boliviano do Jorge Wilstermann.

Aos 41 anos, Forlán foi eleito o melhor jogador da Copa da África do Sul, em 2010, e teve grande carreira no futebol europeu, ao atuar por Manchester United, Villarreal, Atlético de Madrid e Internazionale de Milão. Pela seleção uruguaia, o meia-atacante disputou 112 jogos, com 36 gols, durante 2002 a 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.