Enrique Marcarian/Reuters - 16/6/2010
Enrique Marcarian/Reuters - 16/6/2010

Diego Maradona afirma que vai processar o presidente da AFA

Dirigente teria recordado os antigos problemas com álcool e drogas vividos pelo ex-jogador

Agência Estado

24 de dezembro de 2010 | 13h25

Diego Maradona anunciou que irá iniciar um processo judicial contra o presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, pelo fato de o dirigente ter supostamente recordado os antigos problemas com álcool e drogas vividos pelo ex-jogador e ex-técnico da seleção argentina.

O astro destacou que o vício em drogas são coisas do passado e afirmou que "faz seis anos que não toma um copo de vinho", segundo declarações publicadas nesta sexta-feira pelo jornal argentino Clarín.

"Eu vou processá-lo por tudo o que ele disse. Entrei em contato [com advogados] e estão estudando o caso", revelou Maradona, que chegou a dizer que "Grondona está fora de si".

Nesta sexta-feira, Grondona definiu como "lamentável" a polêmica com Maradona e disse que no momento está enclausurado, sem se preocupar com essa questão. "Estou tratando de passar as festas [de final de ano] em paz. Tudo se acabou, esse tema está superado", ressaltou, em entrevista para a rádio Mitre.

A guerra de palavras entre Maradona e Grondona é de velha data, mas ganhou força nesta semana. Na segunda-feira, o ex-jogador chamou o dirigente de "gagá" e provocou ao dizer que há algum motivo especial para o cartola visitar uma clínica suíça três vezes por ano. "Tenho a ilusão de retornar à seleção, mas quando estes [Grondona e o gerente da seleção argentina, Carlos Billardo] forem embora [da AFA]", disse.

Na quarta-feira, por sua vez, Grondona rebateu Maradona em entrevista para a Fox Sports dizendo que segue lúcido. "De gagá não tenho nada", avisou, ressaltando que "não estranhou" a nova atitude do ex-jogador porque essas declarações polêmicas são feitas pelo ídolo argentino de tempos em tempos.

"Há razões pelas quais isso acontece todos nós sabemos. É feio dizer que dá pena, mas dá pena do que ele disse", ressaltou Grondona, insinuando que os problemas pessoais de Maradona são a causa para as seguidas confusões em que ele se envolve.

Maradona deixou o comando da seleção argentina depois de ser eliminado pela Alemanha nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, onde a sua seleção foi goleada por 4 a 0 pelos alemães. A AFA optou por não renovar o contrato do treinador e anunciou a contratação de Sergio Batista para o cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.