Diego Maradona está próximo de retornar aos gramados, diz jornal

De acordo com Olé, ex-meia jogaria pelo Deportivo Riestra, da quinta divisão argentina

O Estado de S. Paulo

21 de fevereiro de 2014 | 11h18

SÃO PAULO - Aos 53 anos, o maior ídolo do futebol argentino, Diego Armando Maradona, está próximo de retomar sua carreira como jogador. De acordo com o diário argentino Olé, desta sexta-feira, o campeão mundial da Copa do Mundo de 1986 pode atuar pelo Deportivo Riestra, clube da quinta divisão do seu país, por algumas rodadas.

A publicação afirma que a ideia veio do próprio Maradona. Investidor da pequena equipe de Buenos Aires, o advogado e amigo do ex-jogador, Victor Stínfale, já tinha levado o argentino para ser uma espécie de "técnico espiritual" do Deportivo Riestra, dando apoio e incentivo aos atletas da equipe, e servindo como inspiração. Porém, Maradona recusou o cargo, dizendo que "queria mesmo era jogar".

De prontidão, a diretoria do clube viu com bons olhos a intenção e apresentou a possibilidade para a Associação de Futebol Argentino (AFA), que organiza os campeonatos no país. Por mais que não tenha sido divulgado nenhuma informação oficial do ex-jogador, a reportagem garante que o presidente da entidade, Julio Grondona, também aprovou a ideia de ver o retorno de Maradona aos gramados, sobretudo na Argentina.

REESTREIA MARCADA

O principal objetivo do clube ao acertar com Maradona, que está aposentado desde 1998, é expandir sua marca pelo mundo. Além do marketing, outra possibilidade do Deportivo Riestra sobre o possível retorno de Maradona ao futebol é trocar de estádio. O clube deixaria de jogar em sua casa, com capacidade para três mil pessoas apenas, e atuaria no Novo Gasômetro, estádio do San Lorenzo, que pode abrigar até 44 mil torcedores. O projeto é visto com tanta confiança e empolgação pelos diretores que Maradona já tem data para reestrear: 23 de março, contra o El Porvenir.

Caso a negociação realmente ocorra, Maradona voltaria aos gramados depois de 16 anos. Com grandes passagens por Argentinos Juniors, Boca Juniors, Barcelona, Napoli e seleção, o polêmico camisa 10 é considerado o maior jogador de todos os tempos pelos argentinos. Depois de sua aposentadoria, Maradona se envolveu com drogas. Recuperado, foi treinador da seleção argentina na Copa do Mundo de 2010. E mostrou todo o seu carisma na África do Sul. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.